. . .

Este site usa cookies

Como a maioria dos sites, Alcoólicos Anônimos (BR) usa cookies. Para oferecer um serviço personalizado e ágil e para melhorar o site, lembramos e armazenamos informações sobre como você o usa. Isso é feito usando arquivos de texto simples chamados cookies que ficam no seu computador. Ao usar este site, você concorda com este princípio. Só será pedido uma vez. Para limpar cookies no computador siga as instruções

Os caminhos que nos levaram ao reencontro

Nós morávamos próximos em cidades vizinhas e trabalhávamos itinerantes pelo País a serviço da empresa.  Juntos vivemos, bebemos e convivemos e, por um momento, nos distanciamos por motivo de trabalho, por alguns anos. Mesmo morando longe, ainda assim nos encontrávamos e, por circunstancias da vida, após casarmos, nos separamos no ano de 1986. Acontece que, no decorrer dessa separação, eu fui trabalhar em alto mar e sofri um grave acidente. Com a informação errônea de minha morte sendo divulgada eu, Miranda, me instalei em BH. Já, Lourenço, morando em Vitória-ES, também sofreu um grave acidente e, devido a gravidade da saúde, também foi noticiada sua morte. Esta notícia chegou a mim e, para ambos, estávamos mortos. Por ironia do destino, um membro traz a notícia de que Lourenço estava vivo e aí começa a minha procura pelo antigo amigo, Lourenço.

Na Convenção de Maceió, após 30 anos, mesmo estando fisicamente diferente, o companheiro Miranda ao adentrar na sala de uma das plenárias, cujo moderador da mesma era o Lourenço. O moderador, Lourenço, percebe, pelo jeito de andar do companheiro, que o mesmo lembrava o então “falecido” Miranda. Lourenço mostra seu crachá para Miranda e veio, com espanto, pergunta: Você é o Miranda? ..., mas o companheiro que conheci havia morrido e esta também foi a reação do Lourenço. O fato de Miranda e Lourenço estarem vivos e em Alcoólicos Anônimos, foi a maior surpresa para ambos, que agora estavam vivos e renascidos em A.A.... por conhecer a personalidade um do outro, nunca imaginaram se encontrar na Irmandade.

Para o Lourenço esta XIX Convenção, este evento, foi um momento singular de felicidade e deixou como lição a importância da participação. Já para Miranda uma emoção sem limites, que além da participação pela vez primeira a uma convenção, trouxe a realização de um sonho... rever o amigo, até então “morto”.

Como sempre falamos que a surpresa está na próxima reunião... a surpresa poderá estar, também, na próxima Convenção.