. . .

Este site usa cookies

Como a maioria dos sites, Alcoólicos Anônimos (BR) usa cookies. Para oferecer um serviço personalizado e ágil e para melhorar o site, lembramos e armazenamos informações sobre como você o usa. Isso é feito usando arquivos de texto simples chamados cookies que ficam no seu computador. Ao usar este site, você concorda com este princípio. Só será pedido uma vez. Para limpar cookies no computador siga as instruções

A evolução da convenções no Brasil 

I Convenção (I Conclave Nacional), São Paulo, SP, 1974.
Realização do Primeiro Conclave Nacional em São Paulo, no carnaval, entre os dias 22 e 25 de fevereiro de 1974, quando o CLAAB passou a exercer as funções de Escritório de Serviços Gerais, após o ENSAA do Rio de Janeiro encerrar suas atividades. A diretoria do CLAAB passou a ser constituída pelos Delegados das 9 Áreas (Estados) que compareceram:

  • 1. Santa Catarina - Álvaro K.
  • 2. São Paulo - Arlindo B.
  • 3. Rio de Janeiro - Dolores M.
  • 4. Alagoas - Geraldo L.
  • 5. Paraná - Chico R. (Sigolf R.)
  • 6. Pernambuco - Luiz A.
  • 7. Pará – Magalhães
  • 8. Ceará - Mário H.
  • 9. Mato Grosso - Eloy T.

Do Conselho Fiscal do CLAAB fizeram parte dois Conselheiros não alcoólicos: Dr. José Ferraz Salles (SP) e Reverendo José Ribola (SP). Estavam presentes, além de diversos companheiros, Ana Maria T. e Sônia Lazzo, representantes de Al-Anon e o GSO de Nova York nos enviou, como assessora, Mary Ellen Wesh.

NOTA: - Os 9 Delegados passaram a constituir o Conselho Nacional do CLAAB (Centro de Distribuição de Literatura de AA Para o Brasil) ficando a presidência desse Conselho com Chico R., de Curitiba-PR, tendo como Secretário Álvaro K. de Florianópolis-SC. Esse Conselho, então elegeu a Diretoria Executiva do CLAAB, tendo à frente Donald L. A grande novidade foi a apresentação do 1º AA padre, do Brasil, o saudoso Pe. João. 28 companheiros assinaram a lista de presença, dos quais 21 já faleceram (NT.: o transcritor não pode precisar a data deste relato). Dentre os 28 citados não se tem notícias de nenhuma recaída.

II Convenção (II Conclave Nacional), São Paulo SP, 1975. Carnaval.

Eleva-se de 9 para 15 o número de Delegados. Esses eventos serviram de ponto de partida para o extraordinário crescimento da Irmandade; nesse ano existiam no Brasil mais de 500 Grupos. Paralelamente à Convenção havia uma reunião de Serviços, ou seja, uma reunião preparatória às futuras Conferências.

III Convenção (III Conclave Nacional), São Paulo SP, 1976.

Em 29 de fevereiro de 1976, durante o Terceiro Conclave Nacional, em São Paulo, reuniram-se os membros do Conselho Diretor do CLAABe 29 Delegados representando 16 estados, e criaram a Junta Nacional de Alcoólicos Anônimos do Brasil – JUNAAB. O Estatuto dispunha que seriam Órgãos da JUNAAB, uma Assembleia Geral, uma Diretoria e o CLAAB. Assim, A.A. no Brasil credenciava-se a enviar dois Delegados para a 4ª Reunião Mundial de Serviços, em Nova York, em outubro desse ano; foram eles, Donald M. (SP) e Joaquim Inácio (RS). Também foi decidido que a I Conferência de Serviços Gerais seria realizada em 1977, em Recife-PE, juntamente com o IV Conclave de Carnaval.

IV Convenção (IV Conclave Nacional), 1977, Recife PE.

Nos dias 5, 6 e 7 de abril de 1977, realizou-se em Recife (PE) a Primeira Conferência de Serviços Gerais– CSG. Entre os dias 07 e 10 foi realizado na mesma Cidade o Quarto Conclave Nacional de A.A. Pela 1ª vez eram apresentadas temáticas escritas com cópias distribuídas aos companheiros. Foram palestrantes: Roy P. - Os Doze Passos, Eloy T. - As Doze Tradições e Donald M. Lazzo respondendo perguntas e tirando dúvidas. Durante a Conferência, agora já com o seu corpo de Delegados em número de 40, representando 20 Áreas, ficou decidido que o V Conclave teria lugar em Belo Horizonte MG, juntamente com a II Conferência de Serviços Gerais e, em virtude do trânsito nas estradas na ocasião do Carnaval, foi a data transferida para a Semana Santa. A reprodução dos trabalhos apresentados foi feita por companheiros de Cuiabá-MT, sem ônus para a Convenção.

V Convenção (V Conclave), Belo Horizonte MG, 1978.

Contamos com a presença de Dr. Jack Norris, então presidente da Junta de Serviços Gerais dos EUA/Canadá e sua esposa (ambos falecidos). Mato Grosso, em vésperas de ser dividido, levou um Delegado do Norte (Eloy T.) e outro do Sul (Mário), sob a mesma bandeira do Mato Grosso uno. Durante a Segunda Conferência de Serviços Gerais, Eloy T., Delegado do MT, foi eleito como substituto de Donald M. como Delegado à Reunião de Serviço Mundial (RSM). Decidiu-se mudar o nome de Conclave para Convenção Nacional de A.A., e que as Convenções seriam realizadas a cada dois anos, em anos pares, sendo a próxima, a Sexta, em 1980 em Porto Alegre, e as Conferências seriam anuais-nos anos impares seriam realizadas em São Paulo e nos anos pares na Cidade escolhida para a Convenção.

VI Convenção Porto Alegre RS, 1980.

Foi uma ótima Convenção realizada no Plenário da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Escolhido o Roy Pepperell para substituir o Joaquim Inácio às RSM. Escolhida Fortaleza, Ceará como a sede da VII Convenção.

VII Convenção, Fortaleza CE, 1982,

Destacamos nessa Convenção, em primeiro lugar a presença de David Puerta da Colômbia e George Ifrán do Uruguai, ambos Delegados à RSM por seus países, como convidados. Destacamos mais, a presença pessoal do Senhor Prefeito Municipal nas reuniões de abertura e encerramento da Convenção. A Convenção, igualmente, editou dois livros, a saber:

  1. a) Serviço, O Coração de A. A., um Relatório dos Delegados à 6ª RSM.
  2. b) Serviço - Responsabilidade de Todos, contendo todas as temáticas apresentadas na Convenção. Por outro lado, em face de grande divulgação e à colocação do evento na agenda do Sr. Prefeito Municipal, a Convenção passou a ser, daí por diante a maior arma de atração da Irmandade.

VIII Convenção, Blumenau SC, 1984.

Grandes enchentes, com o extravasamento das águas do Rio Itajaí, ocorrido nas vésperas do evento, impediu que a VIII Convenção tivesse o brilho esperado. Todavia o número de companheiros presentes manteve-se em elevação.

IX Convenção, João Pessoa PB, 1986.

A Convenção continua a atrair a presença de elevado número de companheiros e, pela primeira vez tivemos Conferência, Convenção e temáticas todas concentradas na monumental Praça da Cultura.

Obs.: O propósito de realizar as Convenções a cada dois anos preconizado na V Convenção, em Belo Horizonte em 1978, foi respeitado até aqui. A adaptação a outras circunstâncias foi ditando as datas seguintes. Assim, em 1987 foi realizada a temporã 9ª a (nona “a”), no Rio de Janeiro, RJ, por ocasião dos 40 Anos de A.A. no Brasil;

10ª, 1988, Curitiba, PR; 11ª, 1990, Belém, PA; 12ª, 1992, Brasília, DF; 13ª, 1994, Teresina, PI; 14ª, 1997, Rio de Janeiro, RJ, por ocasião dos 40 Anos de A.A. no Brasil; 15ª, 2000, Salvador, BA, por ocasião do 5º Centenário do Descobrimento; 16ª, 2003, São Paulo, SP; 17ª, 2007, Manaus, AM. A 18ª Convenção será realizada entre os dias 6, 7 e 8 de setembro de 2012, e são esperados dez mil participantes. Já o calendário da Conferência tem sido respeitado rigorosamente. No decorrer da Semana Santa deste ano (2012), estará acontecendo em Serra Negra, SP, a 36ª Conferência de Serviços Gerais de A.A. no Brasil.

IX (a) Convenção – Festa dos 40 Anos de A.A. no Brasil.

A descoberta de uma ata de um Grupo dos primeiros tempos que teve o nome de Rio de Janeiro permitiu que se esclarecesse a data corretado início de AA no Brasil. Nela estava registrado:

“Nossa próxima Reunião (5 de setembro de 1950), coincidirá com o terceiro Aniversário da chegada de AA ao Brasil”. Isto motivou a organização de uma comemoração no intervalo das Convenções de João Pessoa (IX) e Curitiba (X). Foi organizada no Rio de Janeiro em um dia com Reuniões diversas em Unidades da Marinha de Guerra (com prestimosa ajuda do então Capitão de Mar e Guerra, Dr. Laís Marques da Silva que veio a ser nosso Custódio não Alcoólico e 2º. Presidente de JUNAAB). A coleta de fundos foi feita com a edição de um folheto: “Não me diga que não sou Alcoólico”, originário de Cleveland numa época em que se permitiam edição de folhetos fora do CLAAB. Os fundos permitiram pagar a ocupação do Maracanãzinho para a Reunião de Encerramento. Durante o evento foi lançada a 1ª. Edição do Manual de Serviços.

X Convenção, Curitiba-PR, 1988.A Convenção atinge o seu clímax. Local favorável na Universidade Federal do Paraná e a presença destacada da classe médica. Um marco muito importante na divulgação de AA.

XI Convenção, Belém PA, 1990.

O Norte e o Nordeste brasileiros disseram presente à Convenção e diversas caravanas partiram das regiões Sul e Sudeste, assegurando um sucesso de público, atraído também pela curiosidade turística da região.

XII Convenção, Brasília DF, 1992.

Situada a cidade no coração do país, torna-se o ponto mais equidistante de todo o território facilitando a locomoção, também em razão de ônibus de carreira ancorar naquela cidade vindos de todos os recantos da pátria.

XIII Convenção, Teresina PI, 1994.

Nenhuma novidade anotada, salvo o grande interesse despertado, trazendo um público de 3.000 companheiros, aproximadamente.

XIV Convenção, Rio de Janeiro-RJ, 1997. Aproveitou-se para comemorar os 50 anos de AA no Brasil. Como sempre, a cidade maravilhosa apresentou um trabalho de intensa divulgação, com apoio da média e com a disponibilidade de espaços adequados ao evento – o Maracanãzinho e o Rio Centro. Conta-se que 15.000 pessoas estiveram presentes.

N.T.: Por ocasião deste evento a revista Veja, na sua edição 1497 de 28 de maio de 1997, dedicou sua capa ao tema do alcoolismo com o título “Da cervejinha ao alcoolismo” e subtítulo “Um mergulho no mundo da dependência”. Nas páginas 62 a 76 uma brilhante reportagem, “A crua realidade do alcoolismo”, da excelente jornalista e documentarista nascida na Croácia Dorrit Harrazim; fala com muita propriedade de Alcoólicos Anônimos e dos 50 anos da Irmandade no Brasil e do evento comemorativo que estava sendo celebrado no Rio de Janeiro, com tal sensibilidade conhecimento que não deixa devendo absolutamente nada ao artigo que Jack Alexander escreveu a respeito de Alcoólicos Anônimos na revista americana Saturday Evening Post em março de 1941.

5º. Centenário do Descobrimento do Brasil. A Bahia estava em festa e A.A. aproveitou a oportunidade para incorporar-se às comemorações obtendo um resultado enorme quer quanto a público, quer pela excelência das apresentações no moderno Centro de Convenções de Salvador.

XVI Convenção, São Paulo SP, 2003.

Aconteceu na Assembleia Legislativa e no Ginásio do Ibirapuera. 4.500 inscrições foram vendidas estimando-se uma presença de mais ou menos 5.000 companheiros.

XVII Convenção, Manaus AM, 2007.

Mesmo considerando a distância e a inexistência de transportes além do fluvial e do aéreo (com alto custo). A Convenção foi realizada com sucesso com cerca de 4.000 presenças.

XVIII Convenção, Cuiabá MT, 2012.

Reina grande expectativa, pois a curiosidade do Brasil sobre o decantado progresso da região, líder absoluto na produção de soja e algodão, tendo os números da produção agrícola do Estado ultrapassado o Estado de São Paulo. O espaço físico invejável, com um Centro de Convenções moderno e acolhedor, a atração da culinária local, faz da capital mato-grossense, um atrativo todo especial. Não nos surpreenderemos se a presença ao evento atinja os 10.000 participantes.

XIX Convenção será realizada em Maceió AL, em 2016

. As Origens de Alcoólicos Anônimos no Brasil (*) de Luiz M., do Rio de Janeiro.

. Registros e arquivos do transcritor.

(*) N.T.: Neste registro de memórias, Luz M. conta que em 30 de outubro de 1965, foi realizada no Rio de Janeiro, RJ, a Primeira Convenção Nacional de A.A. com a presença de companheiros de diversos Estados do Norte, nordeste, centro-sul, sul e, principalmente, do Rio. Os eventos foram realizados na sede do Pen Club e no Colégio Talmud Torah.Dito evento só pode ser realizado pelo apoio de diversos amigos de A.A., tais como: Dr. Francisco Laport, Embaixadores Paschoal Carlos Magno,e Dr. Oswald de Moraes Andrade.

Literatura Digital em eBook