acessibilidade texto


. . .

Portuguese Portuguese

Amigo Anônimo

aanonimoui

Dr. John L. Norris (Dr. Jack) (1903 -1989)

Box 4-5-9, Abr. Mai. 1989 (pág. 6-7) => http://www.aa.org/lang/sp/sp_pdfs/sp_box459_april-may89.pdf

Título original: “In Memoriam- John L. Norris, M.D. (El Dr. Jack) ”.

O trabalho do Dr. Jack Norris estava tão entrelaçado com a história de Alcoólicos Anônimos, Irmandade que dirigia e servia, que é difícil fazer diferenças entre os dois.

A convite do cofundador Bill W., o Dr. Jack se tornou Custódio não alcoólico da antiga Fundação do Alcoólico – atual Junta de Serviços Gerais de Alcoólicos Anônimos, em janeiro de 1951. Serviu como presidente desde 1961 até 1978, quando se aposentou, mas continuou como presidente emérito, posto em que continuou trabalhando com dedicação até a sua morte em 13 de janeiro de 1989.

Assim, serviu de maneira extraordinária a Irmandade durante 38 dos 54 anos que A.A. tem de existência (1989).Durante estes 38 anos assistiu a todas as Conferências de Serviços Gerais que foram celebradas; esteve presente em todas as reuniões trimestrais da Junta, exceto quando ficava doente, o que acontecia com bastante frequência; assistiu a todas as Convenções Internacionais; assistiu a todos os Fóruns Regionais e a todas as Reuniões de Serviço Mundial durante os 17 anos que serviu como presidente.

Bob H., antigo diretor geral do Escritório de Serviços Gerais –ESG, no seu discurso de despedida na Conferência de 1977, disse dele: “Lembrem-se deste homem com amor. Nunca veremos outro parecido”. E os AAs do mundo todo o apreciaram enquanto viveu e continuarão a fazê-lo enquanto Alcoólicos Anônimos existir.

John Lawrence Norris nasceu em Dorchester, Massachussets, no dia 24 de setembro de 1903.Graduou-se em Dartmouth College em 1925 e, três anos mais tarde, na Faculdade de Medicina de Dartmouth. Recebeu seu título de Doutor em Medicina na McGill University em 1931.O jovem doutor abriu um consultório particular em New London, New Hampshire. Naquele então, a Companhia Eastman Kodak de Rochester, ofereceu-lhe um emprego como Diretor Assistente de Medicina e ele aceitou. Era um campo novo, onde o Dr. Jack se converteu num líder, servindo mais tarde como Presidente da Academia de Medicina Ocupacional Norte-americana, a Associação de Medicina Industrial e a Academia de Medicina preventiva do Estado de Nova York.

O Dr. Jack confessou que em seus primeiros anos em Rochester, ele era um bom exemplo do médico que “não podia distinguir o alcoolismo de uma úlcera”. Isso dizia ao se referir à sua introdução em A.A. em 1941, história esta que gostava de contar. Um diretor da Kodak de nome Bert tinha sido enviado a ele com dores no estômago, os quais o Dr. Norris diagnosticou como sendo uma úlcera. Durante várias semanas o paciente ficou em casa recebendo salário, até que uma enfermeira que o visitava alertou o doutor que a “úlcera” era uma fachada para esconder o alcoolismo. Quando o Dr. Norris pediu a Bert para voltar ao consultório, o empregado admitiu sem rodeios que tinha um problema com a bebida. O doutor tomou uma atitude revolucionária naquele tempo, mas que se converteu na norma dos programas empresariais mais tarde; disse-lhe, “Junte-se a A.A. (o Dr. Jack tinha ouvido falar do programa, mas sabia pouco a seu respeito), procure um trabalho em outro lugar e, quando achar que está pronto, volte aqui”. Bert fez isso. E uns sete meses mais tarde, reapareceu com a saúde boa dizendo “Sou libre, libre por fim”. A Kodak voltou a contratá-lo e deu-lhe um cargo de responsabilidade. Bert e o Dr. Jack converteram-se numa equipe, usando a mesma magia com outros empregados que apresentavam sintomas de alcoolismo. “Eu diagnosticava o problema e falava a dura e curta verdade”, explicou o Dr. Jack. “Então chamava a Bert para que ele continuasse com o trabalho. Nosso índice de sucesso era muito bom”. Bert também se tornou “padrinho AA” do Dr. Jack e o levava a reuniões, incluindo duas grandes reuniões públicas no final dos anos de 1940 onde falou Bill W. O Dr. Jack ficou muito bem impressionado. E a Bill também lhe impressionou o doutor, uma vez que já em 1950 lhe telefonou para convidá-lo a servir como Custódio.

Desde aquele tempo, A.A. tornou-se vinte vezes maior – 4.000 Grupos com aproximadamente 100.000 membros em 1951 passaram para 80.000 Grupos e 1.500.000 membros em 1989, e o Dr. John L. Norris teve um papel muito importante neste desenvolvimento. Enquanto servia como membro da Junta, participou de muitas ações de grande responsabilidade. Por exemplo, durante onze anos, sem sucesso, Bill tinha tratado de convencer a Junta para aceitar a mudança da proporção de Custódios alcoólicos e não alcoólicos. Finalmente, depois de uma curta e simples conversa do coordenador – o Dr. Norris, a Conferência de 1966 aceitou a proposta de maioria de Custódios alcoólicos (N.T.: Em 1966, mudou a relação de Custódios alcoólicos e não alcoólicos na Junta de Serviços Gerais: eram 15 membros, sendo oito não alcoólicos e sete alcoólicos e passaram para 21 membros, 14 alcoólicos e sete não alcoólicos dando, assim, aos Custódios alcoólicos a atual maioria de dois terços.).

O Dr. Norris também concebeu a ideia dos Fóruns Regionais, como um meio para aumentar a confiança e melhorar a comunicação entre os membros da Junta e do pessoal do Escritório e os trabalhadores de serviço nas diversas regiões. Embora o Dr. Norris não tenha cunhado a frase “preenchendo o vazio” (entre o tratamento ativo e a vida sóbria em A.A.), escreveu um artigo definitivo a respeito desse tema em 1972. O ESG ainda o distribui em inglês. Também empreendeu uma campanha com 40 anos de duração para aumentar o conhecimento sobre o alcoolismo e melhorar a compreensão de A.A. entre os médicos e outros profissionais. Sempre incentivou os membros a “apadrinhar seus doutores”.

Fora de A.A., o Dr. Norris ganhou reconhecimento mundial como autoridade no alcoolismo. Em 1962, Nelson Rockefeller nomeou-o Presidente da Junta Conselheira do Governador para o Alcoolismo. Serviu como membro da Junta de Diretores do Conselho Nacional sobre o Alcoolismo, o qual, em 1977, lhe outorgou sua mais alta honraria, o Premio Chave de Ouro. É possível que o maior presente que o Dr. Norris deu à Irmandade foi o que nos chegou imediatamente após a morte de Bill W. Em todos os lugares os AAs se perguntavam uns aos outros: “O que irá acontecer agora? A.A. irá sobreviver sem Bill? ”. À presença serena e tranquilizadora do Dr. Jack– e especialmente ao afeto e respeito que os AAs tinham por ele, geralmente foi atribuído o mérito de haver mantido A.A. forte e unido durante esse breve, mas decisivo período.

Pouco Tempo depois A.A. entrou numa época sem paralelo de crescimento, saúde robusta e harmonia desacostumada. No dia 20 de janeiro de 1989 foi celebrado um serviço comemorativo para o Dr. John L Norris na igreja Batista de New London. Entre os presentes na capela estavam Ellie e seus filhos David e Richard e suas famílias, incluindo quatro netos (outro filho, Robert, não pode assistir). Também presentes estavam os membros da Junta de Serviços Gerais e uma multidão de membros de A.A. Em conformidade com o desejo do Dr. Jack, foi um serviço “ao estilo A.A.” incluindo reflexões e lembranças por parte dos presentes, a Oração da Serenidade, e a Oração preferida do Dr. Jack, a Oração de São Francisco. Através dos séculos, fala da vida deste homem: “é dando que recebemos”.

Para saber mais:

1). Em 1996, foi presenteado o exemplar de nº 15.000.000 do livro Alcoólicos Anônimos a Ellie Norris, viúva do Dr. John L. Norris.

2). Em março de 1978, o Dr. Norris, então Presidente a Junta de Custódios dos EUA/Canadá, esteve em Belo Horizonte, MG, para participar do Quinto Conclave Nacional- que a partir de então se chama Convenção Nacional), e da II Conferência de Serviços Gerais.

Literatura Digital em eBook