. . .

Este site usa cookies

Como a maioria dos sites, Alcoólicos Anônimos (BR) usa cookies. Para oferecer um serviço personalizado e ágil e para melhorar o site, lembramos e armazenamos informações sobre como você o usa. Isso é feito usando arquivos de texto simples chamados cookies que ficam no seu computador. Ao usar este site, você concorda com este princípio. Só será pedido uma vez. Para limpar cookies no computador siga as instruções

1985 08 Proposta de criação da Revista Brasileira de A.A. (Vivência)

A Comissão de Literatura e Publicações da 1ª Conferência de Serviços Gerais realizada em Recife (PE) em 1977 apresentou, e o plenário aprovou, a proposta nº 8, que diz: "Consideramos oportuno que Alcoólicos Anônimos no Brasil possua a sua Revista, a exemplo de "Grapevine" e "El Mensaje”. Para concretizar este objetivo, recomendou-se aos Delegados do RJ que elaborassem um projeto, com análise de custos e possibilidade de implantação de uma nova entidade de A.A. no Brasil, para ser debatida na próxima Conferência de Serviços Gerais".

Na 8ª CSG, realizada em Blumenau (SC) em 1984, a mesma Comissão reiterou e o plenário aprovou por unanimidade a proposta nº 2, que: “Reitera a criação, urgente, da Revista Brasileira de Alcoólicos Anônimos, no sentido de canalizar proveitosamente a criatividade dos AAs. Aprovada por unanimidade".

Assim, a Junta de Custódios, durante a 2ª Reunião de Serviço Nacional realizada em Baependi (MG) entre os dias 17 e 19 de agosto de 1985, achou por bem prover a Irmandade de um veículo de informação à altura dos nossos anseios, que pudesse consolidar nossa mensagem de esperança junto aos seus membros e transpor horizontes, apresentando, de maneira sóbria e consistente, a Irmandade a profissionais liberais, religiosos, mestres da educação, empresários e tantas outras pessoas de boa vontade. Por sugestão dos Comitês, inclusive os recém-oficializados Comitês de Finanças e de Literatura e também para comemorar o Cinquentenário Mundial da Irmandade naquele ano, elegeu-se então uma diretoria e foi autorizada a edição experimental da Revista Brasileira de Alcoólicos Anônimos.

O número “Zero", marco inicial da revista, foi publicado em novembro do mesmo ano, em Campo Grande (MS), por ocasião do Seminário da Região Centro-Oeste. A partir do nº 2, a revista passou a ser editada e produzida em Brasília (DF), onde ficou aproximadamente durante dois anos e adquiriu um formato bem menor, quase de bolso, ganhando o nome de Vivência, escolhido entre diversos outros sugeridos, além de instituir-se a assinatura anual. Após esse período, no qual a revista crescia, sua produção passou a ser feita em Fortaleza (CE), onde foi editada, produzida e distribuída com sucesso até 1993, quando, incorporando de algum modo nossas diversidades culturais locais, foi definitivamente transferida para a sede da Junaab em São Paulo (SP).

A partir da 1ª edição do ano de 1994, a Vivência passou a ser publicada a cada dois meses. A “assinatura cortesia” foi apresentada pela primeira vez no Editorial da Revista nº 33, que também trazia um cupom de "cortesia" impresso em suas páginas. Até a revisão do Manual de Serviços ocorrida em 1995, quando foram reformulados os Estatutos da Junaab, a Vivência manteve-se como empresa separada, com Diretoria própria, assim como ocorria com o extinto CLAAB. Após essa revisão estatutária, os três órgãos de serviços da Junaab fundiram-se numa única empresa e a revista passou a ser responsabilidade de um novo Comitê da Junta — o Comitê de Publicações Periódicas (CPP) — responsável também pela publicação dos boletins "BOB Mural" e "JUNAAB Informa".

Atualmente (2016) mantém periodicidade bimestral e sua tiragem média é de 10.000 exemplares. Diversos membros de A.A. — companheiras e companheiros voluntários — têm estado à frente da produção da Vivência, sempre emprestando a ela seu carinho e sua competência profissional, buscando dar um passo à frente a cada edição, de forma a apresentar harmonia e qualidade editorial condizente com consistência da mensagem que se propõe a levar.

CAHist – Comitê de Arquivos Históricos da Junaab