. . .

Este site usa cookies

Como a maioria dos sites, Alcoólicos Anônimos (BR) usa cookies. Para oferecer um serviço personalizado e ágil e para melhorar o site, lembramos e armazenamos informações sobre como você o usa. Isso é feito usando arquivos de texto simples chamados cookies que ficam no seu computador. Ao usar este site, você concorda com este princípio. Só será pedido uma vez. Para limpar cookies no computador siga as instruções

1934 08 O resgate do"mensageiro", Ebby T.

No começo de 1934 ingressou no Grupo de Oxford e Nova York Rowland Hazard III (Roy) (1881-1945), membro de uma dinastia de magnatas da Ilha de Rhodes (EUA). Após várias internações por alcoolismo, em 1931, foi levado pela família a procurar ajuda para seu problema em Zürich com o psiquiatra suíço Carl Gustav Jung (1875-1961) -um dos pais da psicologia analítica (psicanálise) com quem Bill W., mais tarde, trocou correspondência.

Após algum tempo de terapia, o resultado foi desanimador e o Dr. Jung teria sugerido que "somente uma profunda transformação através de uma conversão espiritual, seria capaz de remover sua esmagadora compulsão pela bebida".

De volta à América, Rowland ficou internado entre fevereiro e março de 1932. Ao sair da internação foi procurar o terapeuta leigo Courtenay Baylor (1870-1945), um dos líderes do Movimento Emmanuel que o ajudou a se manter sóbrio. Baylor também compartilhava a ideia do Dr. Jung a respeito da necessidade da conversão espiritual, e indicou-lhe o Grupo de Oxford de Nova York, onde, após sua “conversão" a Deus através do ministro da igreja episcopal Samuel (Sam) Shoemaker (1893-1963), a principal liderança do Grupo de Oxford nos EUA, ingressou no Grupo e passou a fazer parte de uma equipe de abordagem. Nessa condição, acompanhado de Francis Shepard (Shep) Cornell (1899-1985) Cebra Q. Graves (1898-1979) viajou em agosto desse ano à cidade de Bennington, Vermont - onde Rowland tinha uma casa de veraneio e o pai de Cebra, Collins Millard Graves (1871-1954), era o juiz local. O objetivo da viagem era abordar Edwin (Ebby) T. Thatcher (1896-1966) – antigo companheiro de escola e farras de Bill W.

Ebby tinha sido preso e iria a julgamento por dirigir embriagado e ter provocado um grave acidente destruindo parte de uma residência e o novo automóvel "Packard" de seu pai. Devido às reincidências a Promotoria estava pedindo sua internação no Asilo Brattleboro, uma instituição para doentes mentais; porém, os três oxfordianos persuadiram o Tribunal, conseguiram a custódia de Ebby e levaram-no para Nova York. Algum tempo depois Ebby, por intermédio de Sam Shoemaker e apadrinhado por Rowland, confessou seu alcoolismo e entregou sua vida a Deus na Igreja do Calvário da qual Sam era o Reitor – este era o procedimento da "rendição” e da "conversão”. Ficou sóbrio e decidiu ajudar seu amigo Bill Wilson. Assim, numa sombria manhã de novembro de 1934, quando o telefone na casa de Bill W. tocou e ele atendeu, ouviu a voz familiar de Ebby T. Ebby estava em Nova York. Contou que ouvira falar da dificuldade de Bill e perguntou se podia ir ao Brooklyn para vê-lo.

Duas noites mais tarde, Ebby e Bill estavam sentados à mesa da cozinha da casa nº 182 da Rua Clinton, no Brooklyn. Havia uma garrafa de gim e uma jarra de suco de abacaxi sobre a mesa, mas apenas Bill bebia. Entre incrédulo e estupefato, ouviu Ebby recusar a bebida e dizer que agora tinha religião e estava sóbrio há alguns meses seguindo alguns preceitos básicos: admitir a derrota perante o álcool, se tornar honesto consigo mesmo, confessar seus defeitos a outra pessoa, fazer reparações dos danos causados, ajudar os outros desinteressadamente e rezar a Deus na forma em que o concebia. Ebby não tentou pressionar nem evangelizar.

Bill W. iria obter um retorno definitivo desse encontro durante a sua última internação no mês seguinte quando passou por uma experiência espiritual. Havia acabado de completar 39 anos de idade um mês antes de sair do hospital, e ainda tinha metade da vida pela frente. Sempre afirmou que, depois daquela experiência, nunca mais duvidara da existência de Deus. Nunca mais tomou qualquer bebida alcoólica.

CAHist – Comitê de Arquivos Históricos da Junaab