acessibilidade texto


. . .

Portuguese Portuguese

Amigo Anônimo

aanonimoui

Aanonimo

j) 1977 - 2019 Finanças

Recomendações aprovadas

Texto:

1977, Recife-PE, 1ª CSG

Recomenda:

  1. Recomendamos a aprovação das contas do CLAAB, até 31 de de­zembro de 1976. A fim de apreciar os próximos relatórios fi­nanceiros, a Comissão de Finanças deverá ter em mãos toda a documentação necessária a um exame mais consciente do movimento financeiro, ainda que a Conferência de Serviços Gerais seja realizada fora da sede daquele Centro.
  2. Sugerimos, como medida para evitar atrasos nas liquidações das contas correntes, que o CLAAB procure utilizar o sistema de cobrança através da rede bancária nacional.
  3. Recomendamos que a revisão de preços de literatura oficial de A.A. seja feita a cada 6 (seis) mêses, mediante aviso an­tecipado de 30 (trinta) dias para todas as entidades de A.A. no país, abolindo-se o critério anterior, com base no siste­ma de “UPCs”.
  4. Recomendamos a continuação da campanha da “Sacola da Gratidão” (última semana de novembro de cada ano), como ajuda financeira para as atividades especiais do Escritório de Serviços Gerais.
  5. Recomendamos que todos os Delegados Estaduais procurem arrecadar, mensalmente, entre os Grupos de suas unidades, uma colaboração para as despesas do Escritório de Serviços Gerais Quando não houver arrecadação, caberá a cada Delegado, por sua conta, enviar uma contribuição mensal, mínima de Cr$100,00.
  6. Recomendamos a inclusão de 2 (dois) Delegados-Membros da Junta no Conselho Fiscal do CLAAB, a serem eleitos anualmente na Conferência de Serviços Gerais, até a conclusão do mandato de sua atual Diretoria e Conselho Fiscal. Por ocasião da eleição da nova Diretoria do CLAAB, poderá ser proposta a alteração estatutária, que propiciaria a eleição direta de todos os membros daquele Conselho, pela Conferência de Serviços Gerais.

 

1978, Belo Horizonte-MG, 2ª CSG

Recomenda:

  1. Recomendamos, a aprovação das contas do CLAAB, até 31 de dezembro de 1977, cuja situação consideramos excelente. Entretanto em que nesse parecer do Conselho Fiscal, é imprescindível que, de futuro, seja cumprido pelo CLAAB o disposto na alínea “n”, do Art. 16, de seus Estatutos, bem como a recomendação nº 14, desta Comissão, na 1ª Conferência de Serviços Gerais, em Recife (PE).
  2. Concordamos com que se faça uma campanha em alta escala para venda de assinaturas do Boletim A.A. do Brasil (BOB), cuja finalidade não se restringe apenas ao respaldo financeiro que será dado ao CLAAB, mas, sobretudo, para levar ao conhecimento de todo A.A. brasileiro o desenvolvimento de nossa estrutura de serviços e outros fatos do interesse geral.
  3. Sugerimos que o desconto de 15% para vendas à vista concedido pelo CLAAB aos Escritórios e lntergrupais, seja também auferido pelos Grupos que se localizam em Estados que não disponham ainda daqueles centros de serviço.
  4. A fim de ativar a cobrança dos devedores em atraso, sugerimos que o CLAAB recorra aos bons préstimos dos Delegados para que efetuem a reapresentação pessoal e amigavelmente, fornecendo-lhes a relação dos atrasados de sua Área e, se necessário, credenciá-los, de conformidade com o Art. 32, dos Estatutos do CLAAB.
  5. Recomendamos que a contribuição mensal dos Delegados Estaduais para o CLAAB permaneça em Cr$ 100,00 (cem Cruzeiros).

 

1979, São Paulo-SP, 3ª CSG

Recomenda:

  1. 1.-Segundo o 1º Tesoureiro do CLAAB, as contas referentes ao exercício de 1978 estão em mãos para serem verificadas.
  2. 2.-Recomendamos Venda a Crédito só para as Centrais e lntergrupais.
  3. 3.-Recomendamos sejam congelados os preços da literatura por 1 (um) ano, sendo estudado o reajuste na próxima Conferencia Ordinária, mediante apresentação e estudos das contas do CLAAB.
  4. a)A Comissão de Literatura e Publicações também sugere o congelamento.
  5. 4.-Recomendamos que o Conselho Fiscal do CLAAB seja composto de três membros, sendo um indicado pelo CLAAB e dois eleitos pela Conferência e de preferencia que entendam de finanças com possibilidade de vir a São Paulo 2 vezes ao ano, sendo as despesas financiadas 50% pelos Grupos e 50% pelo CLAAB.
  6. 5.-Nao havendo condições por nós de aprovar as contas do CLAAB por julgar haver irregularidades, recomendamos:
  7. a)Seja feita uma auditoria por companheiros de A.A.
  8. b)Toda a documentação ficará lacrada com visto da Comissão de Finanças, no lacre, até ser entregue aos Auditores.
  9. 6.-Recomendamos desconto de 15% para qualquer venda à vista igual ou superior a Cr$ 500,00 somente para Grupos nos Estados que não possuam Centrais de Serviços, Intergrupais, e Comitês de Área.
  10. a)Porte a pagar para qualquer pedido.
  11. 7.-Recomendamos desconto de 15% nas vendas a prazo às Centrais ou lntergrupais e Comitês de Áreas.
  12. a)Prazo de 30/60
  13. b)Limitada no maior valor de 4.000,00.
  14. 8.-Sugerimos a sistemática de sobra de sacola 60/30/10 assim distribuída: 60% para a Central, 30% para o ESG e 10% para o fundo de viagens.
  15. 9.-Recomendamos que a Comissão de Finanças fique reunida em caráter permanente, a fim de motivar as contribuições com novas ideias e apreciar o resultado das mesmas.
  16. 10.-Recomendamos que a receita do VI Conclave peja exclusivamente da venda de carnês, sendo vendidos unicamente à família AA., Al-Anon e Alateen.
  17. a)Deixamos de aprovar o balancete do VI Conclave devido não haver orçamento do empréstimo do CLAAB de Cr$ 4.000,00 para viagem a Porto Alegre, bem como seu crédito de Cr$
  18. b)Recomendamos, a pedido do Coordenador do IV Conclave em Recife (Luiz A.), a publicação no BOB da prestação de contas do mesmo.
  19. c)Aprovada a prestação de contas do IV Conclave de Recife
  20. d)Recomendamos a aprovação do balancete das contas do V Conclave de Belo Horizonte.
  21. e)Aprovado o balancete das contas do VI Conclave, com esclarecimento do companheiro Joaquim Inácio.
  22. 13.-Recomendamos que as futuras prestações de contas dos Conclaves deverão ser apresentadas com as devidas Notas Fiscais, com finalidade de não lesar o fisco com a presença do Coordenador do referido Conclave na Conferência de Serviços Gerais que for apreciar e aprovar.
  23. 14.-Recomendamos que o CLAAB não deve remeter literatura sem Nota Fiscal.
  24. 15.-Recomendamos que as licitações para impressão de literatura sejam confidenciais e no mínimo em 5 gráficas.

 

1980, Porto Alegre-RS, 4ª CSG

Recomenda:

 

  1. Promover os meios para contenção das despesas e estipular a receita do CLAAB e ESG.
  2. Apreciação e se necessário exame de rubricas da demonstração da conta de lucros e perdas e balanço geral do CLAAB/ ESG.
  3. Examinar o cumprimento das recomendações.
  4. Incentivar as contribuições de Grupos e membros.
  5. Sacola da Gratidão.
  6. Promover meios para participação dos Delegados Nacionais nas Reuniões Mundiais.
  7. Atualização e revisão dos preços de literatura e BOB.
    • 1.1 Recomendamos o desmembramento físico, financeiro e administrativo do CLAAB/ESG.
    • 1.2 Recomendamos que o CLAAB fique apenas como editor e distribuidor de literaturas de A.A.
    • 1.3 Recomendamos que embora acarrete despesas, os Grupos deverão continuar recebendo gratuitamente um exemplar do Boletim BOB.
    • 1.4 Recomendamos que seja abolida a remessa gratuita aos Delegados do Boletim “BOB”.
    • 1.5 A recomendação nº 02/79 e a 12/79 passam a ter a seguinte redação: “Recomendamos a venda a prazo às Centrais, lntergru­pais e Comitês de Área em 30 e 60 dias, limitando-se o maior valor em Cr$ 8.000,00, sem descontos”.
    • 1.6 A recomendação 09/79, passará a ter a seguinte redação: Recomendamos o desconto de 15% para qualquer venda a vista igual ou superior a Cr$
    • 1.7 Recomendamos à Diretoria do CLAAB o remanejamento e substituição, se necessário, do pessoal do CLAAB, haja visto o desmembramento CLAAB/ESG.
    • 1.8 O salário dos funcionários deverá ser compatível com a capacidade funcional e a critério da Diretoria, observada a política salarial.
    • 1.9 O chefe de Escritório do ESG, deverá ser contratado com um salário compatível com sua função, devendo ser ele um membro de AA., com sobriedade contínua de no mínimo 3 anos.

      RECEITAS

    • 1.10 A recomendação 03/79 passa a ter a seguinte redação: “Recornendamos que seja concedido um aumento nos preços da Literatura e BOB de 60%, assim distribuídos: 30% a partir de 1º de Maio de 1980 e os restantes 30% a partir de 1º de novembro de 1980; novos aumentos deverão ser decididos na próxima Conferência”.
    • 1.11 Recomendamos a continuação da campanha da “Sacola da Gratidão” (última semana de novembro de cada ano), como ajuda financeira para as atividades especiais do Escritório de Serviços Gerais.
    • 1.12 A recomendação nº 05/79 passa a ter a seguinte redação: “Os Delegados e Suplentes independentemente de contribuições de deus Estados, deverão contribuir mensalmente, com a quantia mínima de CrS 100,00 para o ESG”.
    • 1.13 Recomendamos que o Conselho Fiscal do CLAAB seja composto por três membros, sendo um indicado pelo CLAAB e depois eleitos pela Conferência, e de preferência que entendam de finanças, com responsabilidade, digo, possibilidade de vir a São Paulo duas vezes ao ano, sendo as despesas financiadas 50% pelos Grupos e 50% pelo CLAAB.
    • 1.14 Concordamos com que se faça uma campanha em alta escala para venda de assinaturas do Boletim de A.A. do Brasil (BOB), cuja finalidade não se restringe apenas ao respaldo financeiro que será dado ao CLAAB, mas, sobretudo, para levar ao conhecimento de todo A.A. brasileiro o desenvolvimento de nossa estrutura de serviços e outros fatos do interesse geral.
    • 1.15 Sugerimos a sistemática de sobra de sacola 60/30/10 assim distribuída: 60% para a Central; 30% para o ESG e 10% para o fundo de viagens; recomendamos a impressão e distribuição aos Grupos de panfletos ilustrativos. Os órgãos regionais poderão ser utilizados para esses serviços.
    • 1.16 Recomendamos aos senhores Delegados promoverem em seus Estados a campanha de uma sacola extra na ocasião oportuna, para fazer face às despesas de transferência da sede do ESG independente das contribuições normais.

      APRECIAÇÃO DAS RUBRICAS

    • 2.1 A recomendação 07/79 passa a ter a seguinte redação: Baseado no relatório apresentado pelo senhor Presidente do CLAAB, esta Comissão julgando solucionado o impasse surgido no ano de mil novecentos setenta e oito, recomenda a aprovação das rubricas apresentadas, evitando-se assim maiores controvérsias.
    • 2.2 Baseado nos pareceres dos Conselheiros Fiscais os quais fizeram exames minuciosos por amostragem de determinadas rubricas recomendamos a aprovação da demonstração da conta de lucros e perdas e balanços geral do ano de mil novecentos e setenta e nove.

      RECOMENDAÇÕES

    • 3.1  Recomendamos que para as vendas a prazo para as Centrais, Intergrupais e Comitês de Área, somente deverão ser atendidos aquelas que estiveram devidamente cadastradas no ESG e CLAAB.
    • 3.2  Recomendamos às Centrais e lntergrupais e Comitês de Área para fim de cadastramento providenciar até 30 de julho de mil novecentos e oitenta (1980) a seguinte documentação:
      1. Cópia autenticada de seus Estados registros em cartório.
      2. Ficha cadastral individual dos membros da Diretoria (dados pessoais, CIC,CL, etc.).
      3. Cópia autenticada do contrato de locação.
      4. Cópia autenticada do CGC.
    • 3.3 As despesas postais, caso sejam enviadas antecipadamente, serão debitadas em contas correntes.
    • 3.4 Recomendamos que aqueles que estiverem com débitos vencidos com o CLAAB e se solicitarem remessa de literatura à vista o valor da remessa será retido para liquidação do débito e a literatura solicitada será remetida a crédito, sem desconto.
    • 3.5 A fim de ativar a cobrança dos devedores em atraso, sugerimos que o CLAAB recorra aos bons préstimos dos Delegados para que efetuem a representação pessoal e amigável, fornecendo-lhes a relação dos atrasados de sua Área, e necessário, credenciá-los, de conformidade com Art.32 dos Estatutos do CLAAB.
    • 3.6 A recomendação 16/79 passa a ter a seguinte redação: “Recomendamos a aprovação do movimento financeiro até 28/02/1980 do Comitê Organizador do VI Conclave de A.A., devendo o Coordenador do mesmo fazer a prestação de contas final, na próxima Conferência”.
    • 3.7 Recomendamos que as futuras prestações de contas de Conclaves deverão ser apresentadas com as devidas Notas Fiscais (com a finalidade de não lesar o fisco), com a presença do Coordenador do referido Conclave na Conferência de Serviços Gerais que for apreciar e aprovar.
    • 3.8 Recomendamos que o CLAAB não deve remeter literatura sem Nota Fiscal.
    • 3.9 Recomendamos que as licitações para impressão de literatura sejam confidenciais e no mínimo em 5 (cinco) gráficas, insistindo no seu cumprimento.
    • 3.10 Recomendações da V REUNIÃO MUNDIAL:
      1. A Comissão recomendou que, devido à desvalorização do dólar americano e à crescente inflação, a contribuição de participação por Delegado seja aumentado para US$ 700,00 para a VI Reunião Mundial de Serviços.
      2. A Comissão notou que 60% das despesas da IV e V Reunião Mundial de Serviços foram assegurados pela Junta de Serviços Gerais dos Estados Unidos e Canadá, e que esta situação é intolerável. A Comissão, por isso recomendou que todos os países participantes que tenham condições de fazê-lo, sejam, encorajados a contribuir com as parcelas adicionais possíveis para a Reunião Mundial de Serviços de forma que a Reunião Mundial seja autossuficiente, conforme a 7ª Tradição.
    • 3.11 Recomendamos que seja fornecido ao companheiro Delegado Nacional, Eloy, a importância correspondente a US$1.400,00 a razão de Cr$ 48,00 cada dólar para fazer face à participação de dois Delegados Nacionais na VI Reunião Mundial de Serviços em New York.
    • 3.12 Recomendamos que o teto máximo anual para contribuições individuais de membros para Alcoólicos Anônimos seja do equivalente a US$ 500,00.
    • 3.13 Recomendamos ao Conselho Fiscal a observância do exame minucioso da documentação do CLAAB e ESG.

 

1981, São Paulo-SP, 5ª CSG

ATRIBUIÇÕES:

  • Promover os meios para contenção das despesas e estimular a receita do CLAAB - ESG.
  • Apreciação, e se necessário, exame de rubricas das demonstrações da conta de resultados e balanço geral do CLAAB/ESG.
  • Examinar o cumprimento das Recomendações. Incentivar as contribuições de Grupos e membros.
  • Sacola da Gratidão.
  • Promover meios para participação de delegados nas reuniões no exterior.
  • Atualização e revisão dos preços de literatura e "BOB".

Recomenda:

  1. Recomendamos o desmembramento físico, financeiro e administrativo do CLAAB/ESG.
  2. Recomendamos que o CLAAB fique apenas como editor e distribuidor de literatura A.A.
  3. Recomendamos que seja abolida a remessa gratuita aos Grupos do Boletim “BOB”.
  4. Recomendamos que o CLAAB utilize os Escritórios de serviços nos Estados que estejam legalmente constituídos e devidamente cadastrados, como seus distribuidores de literatura.
  5. Recomendamos que os Escritórios, como distribuidores da literatura de A.A., gozarão do desconto de 30% sobre os valores de venda da tabela, correndo as despesas de frete por conta do comprador.
  6. Recomendamos que os pedidos mínimos, a prazo, deverão ser na importância de Cr$ 30.000,00, podendo este valor ser divido em dois pagamentos a 30 e 60 dias com emissão de duplicatas.
  7. Recomendamos que nos Estados onde houver Escritório de Serviços Estaduais, o CLAAB não deverá fornecer literaturas diretamente a Grupos.
  8. Recomendamos que nos Estados onde não houver estes órgãos devidamente registrados, os Grupos terão direito a desconto de 10% nas compras iguais ou superiores a CrS 5.000,00.
  9. Recomendamos que seja abolida a remessa de literatura gratuita na formação de novos Grupos.
  10. Recomendamos à Diretoria do CLAAB o remanejamento e substituição, se necessário, do pessoal do CLAAB, haja visto o desmembramento do ESG/CLAAB.
  11. Os salários dos funcionários deverão ser compatíveis com a capacidade funcional e a critério da Diretoria, observada a politica salarial.
    1. 11.1 O chefe do Escritório do ESG, deverá ser contratado com salário compatível com sua função, devendo ser ele membro de A.A. com sobriedade contínua de 3 anos.

      RECEITAS:

  12. Recomendamos que seja concedido ura aumento no preço da literatura e “BOB”, assim tributirido: 56% a partir de 1º de maio de 1981, 58% a partir de 1º de novembro de 1981 e a partir de 1º de março de 1982, um aumento correspondente ao INPC, vinculado à revisão salarial dos gráficos (meses de março e setembro de cada ano).
  13. Recomendamos que os senhores Delegados promovam a incrementação da campanha “Sacola da Gratidão” (última semana de novembro de cada ano) como ajuda financeira para as atividades especiais do Escritório de Serviços Gerais.
  14. Recomendamos que
  15. Recomendamos que se faça uma campanha em alta escala para a venda de assinatura do boletim de A.A. (B0B), cuja finalidade não se restringe apenas ao respaldo financeiro que será dado ao ESG, mas, sobretudo para levar ao conhecimento de todo A.A. brasileiro o desenvolvimento de nossa estrutura de serviços e outros fatos de interesse geral.
  16. Sugerimos a sistemática de sobra de sacola 60/30/10 assim distribuída, 60% para Central, 30'% para o fundo de viajem, recomendamos a impressão e distribuição aos Grupos de panfletos ilustrativos. Os órgãos regionais poderão ser utili­zados para esses serviços.
  17. Recomendamos aos senhores Delegados promoverem em seus Estados a campanha de uma sacola extra na ocasião oportuna, para fazer face às despesas de transferência da sede do ESG independente das contribuições normais.

    APRECIAÇÃO DAS RUBRICAS:

  18. Baseados nos pareceres dos Conselheiros Fiscais, os quais fizeram exames minuciosos por amostragem de determinadas rubricas, recomendamos a aprovação do balanço geral e da conta de resultados financeiros do CLAAB, relativos ao ano de 1980.
  19. Baseados no relatório apresentado pela Coordenação do VI Conclave Nacional de A.A., recomendamos a sua aprovação com as seguintes ressalvas:
    1. Que a IAARGS faça a aquisição dos móveis e utensílios adquiridos pelo Comitê organizador do VI Conclave pelos seus preços de aquisição, sendo esta importância compensada no saldo negativo apresentado no referido relatório.
    2. Sugerimos que a Diretoria da JUNAAB expeça correspondência necessária para a normalização do item acima, e
    3. Que o saldo negativo remanescente seja compensado com a venda de materiais que sobraram do evento.
  20. Sugerimos a aprovação do relatório parcial apresentado pela Comissão Organizadora da VII Convenção Nacional de A.A., a realizar-se em Fortaleza, em 1982.

    RECOMENDAÇÕES:

  21. Recomendamos que para as vendas a prazo para as Centrais, lntergrupais e Comitês de Área, somente deverão ser atendidas aquelas que estiverem devidamente cadastradas no ESG e CLAAB.
  22. Recomendamos aos Escritórios Estaduais, lntergrupais e Comi tês de Áreas, para fins de cadastramento providenciar até 31-12-1981, a seguinte documentação:
    1. Cópia autenticada de seus Estatutos, registrados em Cartório bem como a Ata de eleição e/ou posse da sua diretoria;
    2. Ficha cadastral individual dos membros da Diretoria da Diretoria (dados pessoais, CIC, Cl, etc.);
    3. Cópia autenticada do Contrato de Locação e
    4. Cópia autenticada do CGC.
  23. Recomendamos que aqueles que estiverem com débitos vencidos com o CLAAB e se solicitarem remessa de literatura à vista, o valor da remessa será retido para liquidação do débito e a literatura solicitada será remetida a crédito, sem desconto.
  24. A fim de ativar a cobrança aos devedores em atraso, sugerimos que o CLAAB recorra aos bons préstimos dos Delegados para que se efetue a representação pessoal e amigável, fornecendo-lhes a relação dos atrasados de sua Área e, se necessário, credenciá-los de conformidade com o artigo 32 dos Estatutos do CLAAB. Insistimos no seu cumprimento.
  25. Recomendamos que o CLAAB não deve remeter literatura sem Nota Fiscal.
    • 1.Recomendamos que as licitações para impressão de literatura sejam confidenciais e no mínimo em cinco gráficas, insistimos no seu cumprimento.
    • 2.Recomendações da VI Reunião Mundial:
      1. A Comissão recomendou que, devido à desvalorização do dólar americano e a crescente inflação, a contribuição de participação por Delegado seja aumentada para US$ 800,00 para a VII Reunião Mundial de Serviços.
      2. A Comissão notou que 60% das despesas da IV e V Reuniões Mundiais de Serviços foram asseguradas pela Junta de Serviços Gerais dos Estados Unidos e Canadá, e que esta situação é intolerável. A Comissão, por isso, recomenda que todos os países participantes que tenham condições de fazê-lo, sejam encorajados a contribuir com as parcelas adicionais possíveis para a Reunião Mundial de Serviços de forma que a Reunião Mundial de Serviços seja autossuficiente, conforme a 7ª Tradição.
  26. Recomendamos que seja fornecida aos companheiros Eloy e Roy, Delegados à Reunião Mundial, a importância de US$ 300,00, para cada um, para a participação no II Encontro Latino-Americano a ser realizado em Buenos Aires em agosto de 1981.
  27. Recomendamos que as futuras Conferências de Serviços Gerais sejam realizadas em locais de acordo com a condição financeira do ESG.
  28. Recomendamos que o teto máximo anual para contribuições individuais de membros para Alcoólicos Anônimos seja equivalente a US$ 500.000 para cada órgão da estrutura.
  29. Recomendamos ao Conselho Fiscal e observância do exame minucioso da documentação dos órgãos subordinados à JUNAAB.
  30. Recomendamos que os Grupos de A.A. procurem chegar a sua auto-suficiente ia alugando salas para suas reuniões, evitando o empréstimo de sala de colégios, igrejas e outras entidades, mesmo sob a alegação de aluguéis simbólicos.

 

1982, Fortaleza-CE, 6ª CSG

Recomenda:

  • Recomendação 1 - Mantida.
  • Recomendação 2 - Mantida.
  • Recomendação 3 - Mantida, com a seguinte redação: “Recomendamos ser abolida a remessa gratuita do Boletim BOB aos Grupos, até que o ESG esteja em condições financeiras e que as assinaturas do BOB cubram financeiramente sua impressão”.
  • Recomendações 4, 5 e 6 - Mantidas.
  • Recomendação 7 - Recomendamos que os pedidos mínimos, a prazo, deverão ser na importância de Cr$ 50.000,00 (cinqüenta mil cruzeiros), podendo, este valor ser dividido em 3 pagamentos, 30, 60 e 90 dias, com emissão de duplicatas.
  • Recomendação 8 - Mantida, insistimos no seu cumprimento.
  • Recomendação 9 - Recomendamos que nos Estados onde não houver estes órgãos devidamente registrados os Grupos terão direito a desconto de 10% nas compras iguais ou superiores a Cr$ 10.000,00 (dez mil cru­zeiros).
  • Recomendação 10 - Mantida.
  • Recomendação 11 - Cumprida.
  • Recomendação 12 - Recomendanas que os salarios dos funcionários do ESG e do CLAAB deverão ser compatíveis com a capacidade funcional e a critério da Diretoria, observada a política salarial.
  • Recomendação 13 - O Chefe do ESG, deverá ser contratado com um salário compatível com sua função, devendo ser ele um membro de A.A. com sobriedade contínua, mínima de 3 anos.

    RECEITAS

  • Recomendação 12 - Recomendamos que continue sendo concedido o aumento  no preço das literaturas e BOB, correspondente ao INPC vinculado à revisão salarial dos gráficos (meses de março e setembro de cada ano).
  • Recomendação 13 - Mantida.
  • Recomendação 14 - Recomendamos que os Delegados e Suplentes, independentemente de contribuições de seus Estados, deverão contribuir, mensalmente, com uma quantia mínima de Cr$ 500,00 para o ESG.
  • Recomendações 15 e 16 - Mantidas.
  • Recomendação 17 - Cumprida.
  • Recomendação 18 -Baseado nos pareceres do Conselho Fiscal, o qual fez exames minuciosos por amostragem de determinadas rubricas, recomendamos a aprovação do Balanço Geral e da conta de Resultados Financeiros do CLAAB, relativo ao ano de 1981.
  • Recomendação 19 -Mantida.
  • Recomendação 20 -Sugerimos à Comissão Organizadora da VII Convenção Nacional de A.A., que apresente o seu relatório de Atividades financeiras, para apreciação, na próxima Conferência de A.A.
  • Recomendação 21 -Recomendamos que as vendas a prazo para as Centrais e lntergrupais, somente deverão ser atendidas aquelas que estiverem devidamente cadastradas no ESG e CLAAB.
  • Recomendações de 22 a 25 -Mantidas.
  • Recomendação 26 -Recomendamos que a participação por Delegado a Reunião Mundial de Serviços seja de US$ 900,00 para a VII Reunião Mundial de Serviços. Recomendamos que seja fornecido ao Comitê Organizador do III encontro Ibero-Americana a ser realizado em Brasília-DF em 1983, para atendimento das inscrições dos Delegados à Reunião Mundial, entregue ao Coordenador, devendo tal importância ser entregues em três parcelas iguais nos meses de setembro de 1982, janeiro/1983 e junho/1983.
  • Recomendação 27 -Mantida.
  • Recomendação 28 -Mantida passando a importância para US$ 500,00.
  • Recomendação 29 -Mantida.
  • Recomendação 30 -Mantida, insistindo no seu cumprimento.
  • Recomendação 31 -Recomendamos que as despesas de viagens dos Delegados à Reunião Mundial de Serviços aos Encontros sejam patrocinadas pelos respectivos organizadores em 100%.
  • Recomendação 32 -Recomendamos aos Escritórios Estaduais de Serviços e lntergru­pais que custeiem as despesas dos Delegados à Conferência anual através de contribuições de Grupos e membros de seus Estados.
  • Recomendação 33 -Recomendamos aos Escritórios Estaduais que contribuam, mensalmente com o ESG, com importância compatível à sua estrutura financeira.
  • Recomendação 34 -Recomendamos que as sacolas de Reuniões de RSGs, tenham o seu produto líquido enviado ao ESG, através de seus Escritórios ou lntergrupais tão logo sejam realizadas as reuniões.
  • Recomendação 35 -Recomendamos a distribuição do saldo financeiro, se houver, da VII Convenção Nacional de A. A, (Fortaleza), da seguinte forma: 20% para a Central de Serviços do Ceará, 40% para o ESG e 40% para o Comitê Organizador da VIII Convenção Nacional a ser realizada na Semana Santa de 1984.
  • Recomendação 36 -A Comissão de Finanças recomenda seja adotado em forma de carnê mensal, em favor do ESG, com a contribuição inicial, opcional de Cr$ 500,00 e Cr$ 200,00, respectivamente, conforme modelos de carnês apresentados, com a finalidade de atender as necessidades financeiras do ESG.
  • Recomendação 37 -Recomendamos à JUNAAB que ao se dirigir aos Escritórios, lnter­grupais e Grupos, solicitando ajuda financeira, principalmente que seja através de documentos devidamente assinados pelos Diretores responsáveis ou quem de direito.
  • Recomendação 38 -Recomendamos aos Grupos que vendam literatura ao preço estipulado pelo CLAAB.
  • Recomendação 39 - Recomendamos para se excluir doações ao CLAAB, devendo o mesmo se manter exclusivamente, com a venda de literaturas e apoiar financeiramente ao ESG, inclusive transferindo ao mesmo as contribuições que chegarem em seu nome.

 

1983, São Paulo-SP, 7ª CSG

Atribuições da Comissão de Finanças:

  • 1.-Promover os meios para contenção das despesas e estimular a Receita do CLAAB e ESG.
  • 2.-Apreciação e, se necessário, exame de rubricas das demonstrações da Conta Resultados e Balanço Geral do CLAAB e ESG.
  • 3.-Examinar o cumprimento das recomendações.
  • 4.-Incentivar as contribuições de Grupos e membros.
  • 5.-Sacola da Gratidão.
  • 6.-Promover meios para participação de Delegados Nacionais nas Reuniões no exterior.
  • 7.-Atualização e revisão dos preços de literaturas e “BOB”.

    Recomenda:

  • 1 e 2 – Cumpridas.
  • 3 - Mantida.
  • 4 - Cumprida.
  • 5 - Fica mantido o texto original.
  • 6 - Eliminada.
  • 7 - Eliminada, passando a ter a seguinte redação: “Recomendamos que as condições de vendas e percentuais de descontos, deverão ser estipulados pelo CLAAB”.
  • 8 - Eliminada.
  • 9 - Eliminada, passando a ter a seguinte redação: "Recomendamos que os Estados onde não houver órgãos devidamente cadastrados, os Grupos poderão adquirir literaturas diretamente do CLAAB, com a aprovação dos respectivos Delegados Estaduais”.
  • 10 a 19 - Mantidas.
  • 20 – Eliminada.
  • 21 - Nova redação: "Recomendamos aos órgãos de serviços Estaduais, para fins de cadastramento no CLAAB, a apresentação da seguinte documentação:
    1. Cópia autenticada dos seus Estatutos registrados em Cartório, bem como Ata da eleição e ou posse da Diretoria.
    2. Ficha cadastral individual dos Membros da Diretoria (dados pessoais, CIC, CI, etc.)”.
  • 22 e 23 – Eliminadas
  • 24 - Cumprida.
    • 24.1 – Cumprida. E, finalmente a de nº
    • 24.2 - Cumprida em parte. “Recomendamos que seja fornecida ao Comitê Organizador do III Encontro Ibero-Americano a ser realizado em Brasília - DF a importância correspondente a US$ 900,00 (novecentos dólares) para atendimento das despesas do Encontro, devendo tal importância ser entregue ao Coordenador do Comitê em 3 (três) parcelas, até junho de 1983”.
  • 25 – Cumprida.
  • 26 - Eliminada.
  • 27 - Mantida.
  • 28 -Mantida.
  • 29 - Eliminada.
  • 30 - Eliminada.
  • 31 - Mantida.
  • 32 - Mantida.
  • 33 - Mantida.
  • 34 – Nova redação: “Recomendamos que a fixação dos valores de carnês de contribuições fica a critério do ESG, de acordo com entendimentos junto a rede bancaria”.
  • 35 - Eliminada.
  • 36 – Mantida.
  • 37 – Mantida.
  • Apresentação final:
  • 1.-Recomendamos ao ESG, para sua melhoria de receita, utilize o sistema de compra e venda de material de divulgação da Irmandade.
  • 2.-Baseado no realtório apresentando pelo Coordenador da VII Convenção Nacional de A.A., recomendamos a sua aprovação.
  • 3.-Baseada nos pareceres do Conselho Fiscal, o qual fez exames minuciosos por amostragem de determinadas rubricas, recomendamos a aprovação do Balanço Geral do CLAAB e ESG, relativo ao ano de 1982.

 

1984, Blumenau-SC, 8ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Recomendamos que o CLAAB utilize os escritórios de serviços que estejam legalmente constituídos, e devidamente cadastrados, como seus distribuídos de leitura. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Recomendamos que as condições de venda, porcentuais de descontos deverão ser estipulados pelo CLAAB. Aprovada por unanimidade.
  • 3.-Recomendamos que nos Estados onde não houver órgãos devidamente cadastrados, os Grupos poderão adquirir literaturas diretamente do CLAAB. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Recomendamos que os Delegados Estaduais promovam a incrementação da campanha da Sacola da Gratidão (última semana de novembro de cada ano). Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Recomendamos que os Delegados e Suplentes, independentemente de contribuições de seus Estados, deverão contribuir, mensalmente, com a quantia mínima de cinco mil (5.000,00) Cruzeiros, para o ESG, através de carnês. provada por unanimidade.
  • 6.-Sugerimos a sistemática de sacola para 60-25-15, assim distribuídos: 60% para a Central; 25% para fundos de viagens: 15% para o ESG; recomendamos a impressão e distribuição para os Grupos, de panfletos ilustrativos. Os orgãos regionais poderão ser utilizados para esses serviços. Aprovada por unanimidade.
  • 7.-Recomendamos aos órgãos de serviços estaduais, para fins de cadastramento no CLAAB, a apresentação da seguinte documentação: Copia autêntica dos seus Estatutos registrados em cartório, bem como a Ata da eleição e ou posse da sua Diretoria; ficha cadastral individual dos membros da Diretoria (dados pessoais: CIC, RG, etc.), Após vários apartes, o companheiro Jefferson solicitou que não interrompam o companheiros em questão, tendo sido a Recomendação. Aprovada por unanimidade.
  • 8.-Recomendamos para se excluir doações ao CLAAB, devendo o mesmo se manter exclusivamente com a venda de literaturas e apoiar financeiramente o ESG, inclusive transferindo ao mesmo as contribuições que chegarem em seu nome. Aprovada por unanimidade.
  • 9.-Recomendamos ao ESG, para sua melhoria de receita, utilize o sistema de compra e venda de materiais de divulgação da Irmandade. Aprovada por unanimidade.
  • 10.-Recomendamos que os Escritórios Estaduais contribuam mensalmente com o ESG com a importância compatível à sua estrutura financeira. Aprovada por unanimidade.
  • 11.-Recomendamos que as sacolas de Reuniões de RSGs, tenham seu produto liquido enviado ao ESG, através de seus Escritórios ou Intergrupos, tão logo sejam realizadas as reuniões. Aprovada por unanimidade.
  • 12.-Recomendamos a distribuição do saldo financeiro, se houver, da VIII Convenção Nacional de AA. (Blumenau-SC), da seguinte forma: a)20% (vinte por cento) para a Central de Serviços de Santa Catarina: b) 40% (quarenta cor cento) para o ESG. 40% (quarenta por cento) para o Comitê Organizador da XI Convenção Nacional, a ser realizada na Semana Santa de hum mil novecentos e oitenta e seis (1986). Aprovada por unanimidade.
  • 13.-Recomendamos que a fixação dos valores dos carnês de contribuições fiquem a critério do ESG, de acordo com entendimentos juntos à rede bancária. Aprovada por unanimidade.
  • 14.-Recomendamos às Centrais de Serviços e aos Grupos, que vendam literatura ao preço estipulado pela CLAAB. Aprovada por unanimidade.
  • 15.-Recomendamos ao Conselho Fiscal a observância do exame minucioso da documentação dos órgãos subordinadas à JUNAAB. Aprovada por unanimidade.
  • 16.-Recomendamos que os Grupos sejam incentivados a adquirir fichas e brindes padronizados pelo ESG, junto às Centrais de Serviços. Aprovada por unanimidade.
  • 17.-Recomendamos que o ESG e o CLAAB enviem cópias das atas de suas reuniões de Diretoria, acompanhados dos balancetes ás Centrais de Serviços, Comitês de Área e Delegados. Aprovada por unanimidade.
  • 18.-Recomendamos aos Grupos que custeiem as passagens dos seus RSGs, quando convocados através dos seus Delegados, para participarem da Assembleia de Serviços Gerais. Aprovada por unanimidade.
  • 19.-Recomendamos que, baseados apenas no parecer do Conselho Fiscal emitido em abril de 1984, sejam aprovados os balancetes do AABESG/CLAAB, referentes ao exercício de 1983. Aprovada por unanimidade.

 

1985, São Paulo-SP, 9ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Recomendamos que os Delegados Estaduais promovam a incrementação da “Sacola da Gratidão” (mês de novembro de cada ano), como ajuda financeira às atividades especiais do Escritório do Brasil, denominado ESG. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Recomendamos a sistemática de sobra de sacola para 60-25-15, assim distribuídos: 60% (sessenta por cento) para a Central de Serviços; 25% (vinte e cinco por cento), para fundos de viagens do Delegado e 15% (quinze por cento), para o ESG. Recomendamos a impressão e distribuição para os Grupos de panfletos ilustrativos. Os órgãos regionais poderão ser utilizados para esses serviços. Aprovada por unanimidade.
  • 3.-Recomendamos que as sacolas de Reuniões de RSGs, tenham seu produto liquido enviado ao ESG, através de seus Escritórios ou Intergrupos, tão logo sejam realizadas as reuniões. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Recomendamos às Centrais de Serviços e aos Grupos, que vendam literatura ao preço estipulado pela CLAAB. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Recomendamos que os Grupos sejam incentivados a adquirir fichas e brindes padronizados, junto ao CLAAB. Aprovada por maioria – com um (01) voto contra do Delegado do Rio de Janeiro.
  • 6.-Recomendamos que, baseados no parecer do Conselho Fiscal emitido em abril, seja aprovado o Balanço Geral do CLAAB. Aprovada por unanimidade.
  • 7.-Recomendamos aos Grupos e companheiros que não usem dinheiro de outras fontes que não sejam a sugeridas em nossas literaturas. Vide 7ª Tradição. Aprovada por unanimidade.
  • 8.-Recomendamos a aprovação do Balancete do ESG e da VIII Convenção Nacional realizada em Blumenau-SC, sendo que a importância de Cr$ 435.409,00 (quatrocentos e trinta e cinco mil quatrocentos e nove Cruzeiros) foi paga pela referida Convenção, após a elaboração do balancete, a débito do ESG. Aprovada por unanimidade.

 

1986, João Pessoa-PB, 10ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Recomendamos com veemência que os Delegados Estaduais promovam a incrementação da Sacola da Gratidão do mês de novembro como ajuda financeira às atividades especiais no Brasil, denominada. Aprovada.
  • 2.-Recomendamos a sistemática de sobra de sacola para sessenta (60), vinte e cinco (25) e quinze (15) assim distribuídas: 60% para a Central, 25% para fundo de viagens de Delegados e 15% para o ESG. Recomendamos a impressão e distribuição para os Grupos, de panfletos ilustrativos. Os órgãos regionais poderão ser utilizados para estes serviços. Aprovada por maioria com quatro votos contra - Delegados de SC, PR, AL. e MA.
  • 3.-Recomendamos que as sacolas das reuniões de RSGs tenham seu produto líquido enviado ao ESG através de seus Delegados, Centrais de Serviços ou Intergrupais, tão logo sejam realizadas as reuniões. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Recomendamos as Centrais de Serviços e aos Grupos, que vendam as literaturas pelos preços estipulados pelo CLAAB. Aprovada com maioria, tendo dois votos contra (Gerson-RJ e Everaldo-PE).
  • 5.-Recomendamos que, baseados no parecer do Conselho Fiscal emitido em março, seja aprovado o Balanço Geral do CLAAB. Aprovada por unanimidade.
  • 6.-Recomendamos aos órgãos de serviços, Grupos e companheiros que não usem dinheiro de outras fontes, incluindo rifas, jogos de bingo ou patrocínios externos para quaisquer eventos (respeite-se a sétima Tradição). Aprovada por unanimidade.
  • 7.-Recomendamos a aprovação do Balancete do ESG relativo ao exercício de 1985. Aprovada por unanimidade.
  • 8.-Baseado nos estatutos do CLAAB em seu artigo 23 - Capítulo V. Recomendamos que a importância de CZ$ 3.000,00 constante em seu Balanço Patrimonial (outros créditos), realizado em 31/12/1985 seja considerado como Resultado Financeiro Excedente e, portanto, transferido efetivamente para o ESG. Aprovada por unanimidade.
  • 9.-Recomendamos que o CLAAB transfira 5% (cinco por cento) do valor de suas vendas líquidas mensais de acordo com o Capítulo V, art. 2º dos Estatutos do mesmo. Aprovada por unanimidade.
  • 10.-Recomendamos que a partir do corrente ano seja efetivada pelo ESG e CLAAB previsão orçamentária para cada semestre a qual deve rá ser enviada para a Junta de Custódios para apreciação e votação. Aprovada por unanimidade.
  • 11.-Recomendamos que na composição da nova lista de preços do CLAAB seja levada em consideração a desindexação da inflação e de acordo com o parecer lavrado pela Delegacia Regional da SUNAB em João Pessoa-PB, em consulta feita pelo CLAAB em data de 25 de março de 1986, em anexo, embutida na tabela apresentada em 27 de março de 1986, com vigência a partir de 01 de março de 1986. Aprovada por unanimidade.
  • 12.-Recomendamos a formação de uma Comissão de técnicos especializados, com experiência no setor, para análise e apreciação da necessidade da aquisição de um microcomputador (Sistema de processamento de dados) para o ESG/CLAAB com a participação do Comitê de Finanças da Junta para verificação da viabilidade financeira. Aprovada por unanimidade.
  • 13.-Recomendamos que o ESG possibilite a venda de fitas gravadas em videocassete de palestras feitas por oradores (para abordagem em empresas, em repartições publicas, etc.) para aproveitamento do equipamento próprio, já adquirido, como forma de divulgação e constituição de fonte de renda. Aprovada por unanimidade.

 

1987, São Paulo-SP, 11ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Recomendamos aos Delegados, MCDs, e RSGs, que incentivem as observações dos “Planos de Contribuições” para o ESG, contidas no Capítulo 06, alíneas “A”, “B”, “C” e “D”, do Manual de Serviços, aprovado pela Conferência.
  • 2.-Recomendamos que, baseados no parecer do conselho Fiscal emitido em Abril de 1987, seja aprovado o Balanço Geral do CLAAB, referente ao exercício de 1986.
  • 3.-Recomendamos aos órgãos de serviço, Grupos e companheiros, que não usem dinheiro de outras fontes, incluindo-se rifas, jogos ou patrocínios externos para quaisquer eventos. Vide “Sétima Tradição”.
  • 4.-Recomendamos a aprovação do balancete do ESG, referente ao exercício de 1986.
  • 5.-Recomendamos que o CLAAB transfira ao ESG, 10% (dez por cento) do valor das suas vendas mensais, de acordo com o Capítulo V, do artigo 23 de seus Estatutos.
  • 6.-Recomendamos com veemência, que a partir do corrente ano, seja efetivada pelo ESG e CLAAB uma previsão orçamentaria para cada semestre, a qual, devera ser enviada à Junta de Custódios para apreciação e aprovação.
  • 7.-Recomendamos com veemência que o ESG possibilite a produção de cassetes com palestras feitas por oradores para abordagens em empresas, escolas, repartições Públicas, como forma de divulgação.
  • 8.-Recomendamos aos Grupos, que na medida do possível, façam a remessa de uma sacola mensal ao Estado sede da Convenção Nacional/1988, remessas estas, que deverão ser remetidas diretamente a Comissão Estadual do evento.

 

1988, Curitiba-PR, 12ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Aos Órgãos de Serviços, Grupos e companheiros, que não usem dinheiro de outras fontes, incluindo-se rifas, jogos ou patrocínios externos, para quaisquer eventos. (Vide 7ª Tradição).
  • 2.-Que o CLAAB transfira ao ESG 10% (dez por cento) do valor de suas vendas mensais, de acordo com o Capítulo V, Art. 23 de seus Estatutos.
  • 3.-Que, a partir do corrente ano, seja efetivada pelo ESG e CLAAB, uma previsão orçamentária para cada semestre, as quais deverão ser enviadas à Junta de Custódios para apreciação e aprovação.
  • 4.-Aos Delegados de Área, junto aos Órgãos de Serviços, propiciar meios financeiros ao ESG, para produção e venda de K-7 (cassetes), com palestras feitas por oradores qualificados, para abordagem em empresas, escolas, repartições públicas, como forma de divulgação.
  • 5.-Às Centrais e Intergrupais de Serviços que estimulem as vendas das assinaturas do Boletim BOB e da Revista Vivência.
  • 6.-Às Áreas através de seus Órgãos de Serviços a observância da planilha de previsão de custos com despesa nivelada à Conferência/1989, fazendo o recolhimento das OTNs pré-fixadas, junto ao ESG.
  • 7.-Baseados no parecer do Conselho Fiscal emitido em março/1988, aprovar o Balanço Geral do CLAAB, referente ao exercício de 1987.
  • 8.-A aprovação do Balancete do ESG referente ao exercício de 1987.

 

1989, Santos-SP, 13ª CSG

Recomenda:

  • 1.-A aprovação das contas do CLAAB com as seguintes solicitações:
    1. a) Que seja feita a correção monetária nos balanços futuros visando a apuração do patrimônio liquido.
    2. b)Que o parecer do Conselho Fiscal seja vazado em analise de balanço elaborado por profissional.
  • 2.-A aprovação das contas do ESG com as seguintes solicitações:
    1. a) Que o ESG prepare um plano de contas apropriado para uma sociedade sem fins lucrativos.
    2. b) Que proceda à adaptação de suas contas de forma que o resultado do exercício represente o aumento do patrimônio líquido ao invés do lucro.
  • 3.-A aprovação das contas da Revista Brasileira.
  • 4.-A aprovação das planilhas de custo do ESG, referentes a janeiro de 1989.
  • 5.-A aprovação do Plano de Despesas Niveladas para a Conferência 1989 com a participação de 23 Áreas e ausência de três.
  • 6.-A aprovação do Plano de Despesas Niveladas para a Conferência 1990 nos termos propostos.
  • 7.-Aos servidores em geral que estimulem os companheiros a contribuírem com o ESG através do carnê.
  • 8.-Que a Revista Brasileira seja vendida ao público em geral.
  • 9.-Que o ESG e o CLAAB continuem a apresentar à Junta previsões orçamentárias para cada semestre.
  • 10.-Que a Revista Brasileira continue pagando o custo das suas edições.
  • 11.-A aprovação das contas da Convenção 1988 Paraná.

 

1990, Belém-PA, 14ª CSG

Recomenda:

  • 1.-A aprovação das contas do CLAAB.
  • 2.-A aprovação das contas da Revista Vivência.
  • 3.-A aprovação das contas do ESG.
  • 4.-A execução do plano de despesas niveladas da Conferência, suprimindo o Item PASSAGENS e observando como fator de correção o IPC ou outro indicador instituído pelo Governo Federal.
  • 5.-A aprovação da previsão orçamentária do 1º Semestre de 1990, tanto do ESG, quanto do CLAAB.
  • 6.-Ao CLAAB que promova estudos de aumento gradativo do repasse ao ESG, a partir dos 10%(dez por cento) já estabelecidos, de acordo com futuras acomodações.Em seus preços. Que os Comitês de Área estabeleçam urgentes estratégias de base para substancial aumento das contribuições ao ESG.
  • 7.-Que o ESG envie às Áreas, os recibos das importâncias recebidas.

 

1991, Santos-SP, 15ª CSG

Recomenda:

  • 1.-A aprovação das contas do CLAAB. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-A aprovação das contas do ESG. Aprovada por unanimidade.
  • 3.-A aprovação das contas da Revista Vivência, conforme fls. 43e 45. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-A aprovação das contas da XIV Convenção Nacional (Belém-PA), conforme especificado nas páginas 46 a 52. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-A aprovação da previsão orçamentária do ESG (primeiro semestre) com alteração de “contribuições de CR$ 4.700.000,00, salários e encargos sociais Cr$ 1.300.000,00, aluguéis Cr$ 2.000.000,00”. Aprovada por unanimidade.
  • 6.-A aprovação e a execução do plano de despesas niveladas para a Conferência de 1992, excluindo as despesas de passagens dos delegados de área, Presidentes do CLAAB e da Revista Vivência. As remessas de numerário ajustar-se-ão no valor de dólar turismo do dia anterior ao da postagem. Aprovada por maioria.
  • 7.-A aprovação parcial, até a presente data, das contas da Conferência 1991. Aprovada por unanimidade.
  • 8.-Que o CAC faça uma previsão prudente para as despesas niveladas, devendo, se for verificado saldo positivo, creditar a cada Área, na proporção de sua participação, como primeiro pagamento no ano subsequente. Aprovada por unanimidade.
  • 9.-Que os Comitês de Área, CENSAAs, ISAAs, grupos e companheiros que enviarem contribuições ao ESG, através de remessas bancárias, remetam de imediato, comprovante para que o ESG identifique e expeça imediatamente o recibo correspondente. Aprovada por unanimidade.
  • 10.-Que o ESG envie às Áreas recibo das importâncias recebidas e que seja anexada ao balancete mensal, relação nominal das áreas e suas respectivas contribuições. Aprovada por unanimidade.
  • 11.-Que seja enviado pelo ESG às CENSAAs, ISAAs e Comitês de Área, com seus balancetes, o mapa demonstrativo desta contribuição. Aprovada por unanimidade.
  • 12.-Que a distribuição do saldo financeiro das Convenções Nacionais, se houver, seja da seguinte forma: 45% para o ESG; 25% à Convenção seguinte: 20% ao Comitê de Área; e 10% à sua respectiva CENSAA. Aprovada por unanimidade.
  • 13.-Que as importâncias destinadas ao ESG pelos Grupos sejam imedia tamente a ele repassadas pelos Comitês de Área e/ou CENSAAs/ISAAs. Aprovada por unanimidade.
  • 14.-Que sejam incluídas as cotas fixas da Reunião de Serviços Mundiais (que assegura a participação do Brasil), atualmente US$ 1.800,00, nas despesas niveladas. Aprovada por unanimidade.

 

1992, Brasilia-DF, 16ª CSG

Recomenda:

  • 1.-A aprovação das contas dos relatórios da Junta (CLAAB, ESG, Revista Vivencia) conforme relatórios apresentados. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Que a Convenção de A.A. como evento nacional, seja tratada como de responsabilidade de todos os grupos de A.A. do Brasil, e, portanto, custeada somente a partir de inscrições antecipadas e contribuições de todos os companheiros de A.A. do país, através de depósito em conta aberta junto ao Banco do Brasil S.A., pelo ESG, e por ele divulgada através do Bob Mural. Aprovada por unanimidade.
  • 3.-Que a distribuição dos saldos financeiros das Convenções Nacionais, se houver, se faça na forma contida na Recomendação nº 12 aprovada pela XV Conferência com a seguinte redação: 45% para a próxima Convenção, 25% para o ESG, 20, para o Comité de Área e 10% a sua respectiva CENSAA. Aprovada por maioria.
  • 4.-Que os eventos locais e regionais sejam somente custeados através de inscrições antecipadas e contribuições dos Grupos e companheiros. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Que os saldos positivos dos eventos regionais sejam distribuídos para os Órgão de Serviços, CENSAAs ou ISAAs do evento, Área e ESG, na proporção de 40%, 40% e 20%, respectivamente. Aprovada por unanimidade.
  • 6.-Que seja mantido o sistema de Despesa Nivelada atual, e que se enviem os Custódios das respectivas regiões as Áreas de: Roraima, Tocantins, Rondônia e Acre para, "in loco", verificar a situação real de cada uma e enviar relatório a Jun­ta de Custódios para que esta tome as resoluções cabíveis em cada caso, no menor prazo possível, comunicando posteriormente a decisão tomada às demais Áreas. Aprovada por unanimidade.

 

1993, Santos-SP, 17ª CSG

Recomenda:

  • 1.-A aprovação das contas da Junta (CLAAB, ESG, Revista Vivência) conforme relatórios apresentados e que o movimento financeiro do CAC seja apresentado analiticamente e seus resultados sintéticos incorporados ao balanço do ESG. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Que a Convenção Nacional, como responsabilidade de todos os Grupos de A.A. do Brasil, seja custeada somente a partir de inscrições antecipadas e contribuições de companheiros, Grupos e Órgãos de Serviço de A.A., através de depósito em conta aberta pelo ESG junto ao Banco do Brasil e divulgada pelo Bob Mural. Aprovada por unanimidade.
  • 3.-Que tendo em vista a JUNAAB haver assumido a responsabilidade financeira da Convenção Nacional, o saldo financeiro desse evento seja rateado da seguinte forma: 20% para a Área sede e 80% para o ESG. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Que os eventos locais e regionais sejam custeados somente através de inscrições antecipadas e contribuições dos Grupos, companheiros e Órgãos de Serviço. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Que até o ano 2000 seja observado o seguinte plano para realização das Conferências:
    • a) As Conferências de Serviços Gerais serão realizadas em Santos-SP até o ano 2.000 exceção que se faz à de 1994, que será no Piauí.
    • b) Acrescer-se-ão 10% no custo da Literatura, repassados pelo CLAAB diretamente ao CAC.
    • c) O percentual de comissão das CENSAAs/ISAAs será reduzido em 5%, os quais o CLAAB repassará diretamente ao CAC.
    • d) As áreas se comprometem a adquirir 20% a mais do nº de apostilas adquiridas nesta Conferência.
    • e) A Convenção do Piaui repassará ao CAC os 20% a que tem direito sobre o seu provável superávit.
    • f) A XVII Conferência entregará agora, à cada Área participante 17 apostilas cujos respectivos relatórios seguirão dia 12 de abril, representando a participação de cada um no "superavit" da presente Conferência;
    • g) A participação de cada área na Despesa nivelada fica fixada em US$700,00 para o ano de 1994 e em US$300,00 do ano 1995 até o ano 2000. (Aprovada por unanimidade).
    • h) Que o Bob Mural esclareça periodicamente sobre o plano de contribuição do Grupo, ou seja, 60-25-15. Aprovada por unanimidade.
  • 6.-Que se evitem nos Grupos e nos Distritos as reservas prudentes destinadas a fins alheios ao programa, que prejudicam sobremaneira as contribuições aos Órgãos de Serviço. Aprovada por unanimidade.

 

1994, Teresina-PI, 18ª CSG

Recomenda:

  • 1.-A aprovação das contas da Junta (CLAAB, ESG, Revista Vivência e CAC) conforme relatorios apresentados e sugerimos a criação do seu Conselho Fiscal. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Que a Convenção Nacional, como responsabilidade de todos os Grupos de A.A. do Brasil, seja custeada a partir de inscrições antecipadas e contribuições de companheiros, Grupos e Órgãos de Serviço de A.A., através de deposito em conta aberta pelo COC (Comité Organizador da Convenção) e divulgada pelo Bob Mural. Aprovada por unanimidade.
  • 3.-Que o saldo positivo, caso existente, no resultado final nas contas das Convenções, seja distribuído da seguinte forma: 60% para o ESG, 20% para a CENSAA local e 20% para a Área sede. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Que os eventos locais, regionais e de Áreas sejam custeados somente através de inscrições antecipadas e contribuições dos Grupos, companheiros e Órgaos de Serviço. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Que até o ano 2000 seja observado o seguinte plano para a realização das Conferências:
    • a) As Conferências de Serviços Gerais serão onde e a melhor criterio da Junta.
    • b) De todas as entradas de recursos financeiros oriundos da venda de literatura, o CLAAB se compromete a repassar, mensalmente, o percentual de 13% (treze por cento) ao CAC.
    • c) A cada Conferência as Áreas se comprometam a adquirir apostilas em quantidade superior a 25% (vinte e cinco por cento) do que na anterior.
    • d) Participação de cada Área fica fixada em 300 URVs (Trezentas Unidades Reais de Valor). Aprovada por maioria absoluta.
  • 6.-Que o Bob Mural esclareça periodicamente sobre o Plano de Contribuições do Grupo, ou seja: 60-25-15. Aprovada por unanimidade.
  • 7.-Que se evitem nos Grupos e nos Distritos as reservas prudentes destinadas a fins alheios ao programa, que prejudicam sobremaneira as contribuições aos Orgaos de Serviço. Aprovada por unanimidade.
  • 8.-Ao CLAAB uma ampla revisão dos custos de seus produtos, inclusive eliminando gradativamente o subsidio hoje existente em alguns itens de nossa literatura, com recuperação, também gradativa, dos preços de venda, e que, estude a possibilidade de voltar a dar descontos na venda a prazo às CENSAAs/ISAAs, principalmente em se considerando a estabilização econômica prevista e desejada e o advento do Real, mantendo-se o atual desconto nas vendas à vista. Aprovada por maioria absoluta.
  • 9.-Que seja efetivamente remetido aos Comitês de Área, CENSAAs e ISAAs, o balancete Mensal da Junta e do CLAAB. Aprovada por unanimidade.
  • 10.-Que o provavel superavit das Conferências seja creditado às Áreas participantes, proporcionalmente as suas integralizações, através do Plano das Despesas Niveladas. Aprovada por maioria absoluta.
  • 11.-Que o custeio referido na Recomendação nº 02 da Comissão de Finanças possa também ser resultado da venda de folhetos, livretos ou livros de nossa literatura oficial, especialmente editados para a Convenção, sem prejuízo de continuar o CLAAB proprietário dos títulos editados, de acordo com entendimento prévio do CLAAB e autorização da Junta. Aprovada por unanimidade.
  • 12.-Que as CENSAAs, ISAAs e Grupos nao vendam literatura por preços superiores aos estipulados na tabela do CLAAB. Aprovada por unanimidade.
  • 13.-A aprovação da Previsão de Custo com Despesa Nivelada para a XIX Conferência/1995, constante de folha 22 da apostila. Aprovada por unanimidade.

 

1995, Santos-SP, 19ª CSG

Recomenda:

  • 1.-A aprovação das contas da Junta (CLAAB, ESG, Revista Vivência e CAC) conforme relatórios apresentados. Aprovada por maioria absoluta.
  • 2.-Que a Convenção Nacional, como responsabilidade de todos os Grupos de A.A. do Brasil, seja custeada a partir de inscrições antecipadas e contribuições de companheiros, Grupos e Órgãos de Serviço de A.A., através de depósito em conta aberta pelo COC (Comitê Organizador da Convenção) e divulgada pelo Bob Mural. Aprovada por unanimidade.
  • 3.-Que o saldo positivo, caso existente, no resultado final nas contas das Convenções, seja distribuido da seguinte forma: 60% para o ESG, 20% para a CENSAA local e 20% para a Área sede. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Que os eventos locais, regionais e de Áreas sejam custeados somente através de inscrições antecipadas e contribuições dos Grupos, companheiros e Órgãos de Serviço. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-A extinção da Despesa Nivelada. As despesas da Conferência serão suportadas por recursos das seguintes origens:
    • a) Resultado da venda das apostilas.
    • b )Repasse mensal efetuado pela JUNAAB.
    • c) A cada ano as áreas adquirirão apostilas em número 25% superior ao ano anterior, até o ano 2000. O limite máximo obrigatório na evolução das compras de apostilas será igual a duas apostilas por grupo da Área.
    • d) Que o preço final da apostila fique estabelecido em R$16,00 (dezesseis Reais) dos quais, 25% (vinte e cinco por cento) sejam destinados ao Comitê de Área adquirente.
    • e) A JUNAAB creditará mensalmente ao CAC, 13% do montante recebido sobre a venda de literatura.
    • f) Caso os recursos sejam insuficientes à realização da Conferência, o ESG reporá a diferença. Observando saldo positivo, o CAC utilizará os recursos para o aperfeiçoamento dos trabalhos e destinará ao ESG a sobra porventura verificada para compor o Fundo de Reserva da JUNAAB. Aprovada por maioria absoluta.
  • 6.-Que se evitem nos Grupos e nos Distritos as reservas prudentes destinadas a fins alheios ao programa, que prejudicam sobremaneira as contribuições aos Órgãos de Serviço. Aprovada por unanimidade.
  • 7.-Que seja efetivamente remetido aos Comitês de Área, CENSAAs e ISAAs, o balancete mensal da JUNAAB. Aprovada por unanimidade.
  • 8.-Que o custeio referido na Recomendação Nº 2 da Comissão de Finanças possa também ser resultado da venda de folhetos, livretos ou livros de nossa literatura oficial, especialmente editados para a Convenção, sem prejuízo de continuar a JUNAAB proprietária dos títulos editados de acordo com entendimento prévio e autorização da Junta de Custódios. Aprovada por unanimidade.
  • 9.-Que as CENSAAs, ISAAs e Grupos não vendam literatura por preços superiores aos estipulados na tabela da JUNAAB. Aprovada por unanimidade.
  • 10.-Que a JUNAAB estude e defina o que entende por "Reserva Prudente" para um Grupo e para um Órgão de Serviço, conforme consulta feita pela Região Sul, através de proposta de recomendação. Aprovada por maioria simples.
  • 11.-Que todos os eventos regionais elaborem e divulguem um relatório de receitas/despesas, dando ênfase ao custo essencial à realização do evento. Aprovada por maioria absoluta.

 

1996, Santos-SP, 20ª CSG

Recomenda:

  • 1.-A aprovação das contas da JUNAAB considerando a integridade das contas e respectivos pareceres do Auditor Independente e Conselho Fiscal contidos nas páginas 41 a 45. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Que a Convenção Nacional, como responsabilidade de todos os Grupos de A.A. do Brasil, seja custeada a partir de inscrições antecipadas e contribuições de companheiros, de Grupos e dos Órgãos de Serviços de AA, através de depósito em conta aberta peio COC (Comitê Organizador da Convenção) e divulgada pelo BOB Mural. Aprovada por unanimidade.
  • 3.-Que o saldo positivo, caso existente, no resultado final nas contas da Convenção/1997, seja distribuído na seguinte forma: 60% para o ESG, 20% para a CENSAA local e 20% para a Área sede. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Que os eventos locais, regionais e de Áreas sejam custeados somente através de inscrições antecipadas e contribuições dos Grupos, de companheiros e dos Órgãos de Serviços. Aprovada por maioria absoluta.
  • 5.-Que, com a extinção da Despesa Nivelada, as despesas da Conferência serão suportadas por recursos oriundos da venda das Apostilas. A cada ano, as Áreas adquirirão Apostilas em número 25% superior ao ano anterior, até o ano 2000. O limite máximo obrigatório na evolução das compras de Apostilas será iguai a duas Apostilas por Grupo da Área. Que o preço final da Apostila fique estabelecido em R$ 16,00 (dezesseis reais), dos quais 25% (vinte e cinco por cento) sejam destinados ao Comitê de Área adquirente. Aprovada por maioria absoluta.
  • 6.-Que se evitem nos Grupos e nos Distritos as reservas prudentes destinadas a fins alheios ao programa, que prejudicam sobremaneira as contribuições aos Órgãos de Serviços. Aprovada por maioria absoluta.
  • 7.-Que o Custeio referido na recomendação n° 2 da Comissão de Finanças possa também ser resultado da venda de folhetos, livretos ou livros de nossa literatura oficial, especialmente ecoados para a Convenção, sem prejuízo de continuar a JUNAAB proprietária dos títulos editados de acordo com entendimento prévio e autorização da Junta de Custódios. Aprovada por unanimidade.
  • 8.-Que as CENSAAs, ISAAs e Grupos não vendam literatura por preços superiores aos estipulados na tabela da JUNAAB. Aprovada por unanimidade.
  • 9.-Que a JUNAAB defina o que entende por "Reserva Prudente" para um Grupo e para um Órgão de Serviço. Aprovada por maioria absoluta.
  • 10.-Que o plano 60-25-15, seja divulgado por todos os servidores como sustentáculo principal para a manutenção dos órgãos de Serviços locais e nacionais. Aprovada por maioria simples.
  • 11.-Que o significado e o objetivo da Sétima Tradição, sejam divulgados corretamente nas reuniões de Grupos, para que os presentes tenham um entendimento melhor do programa espiritual de A. A. Aprovada por maioria absoluta.
  • 12.-Que a JUNAAB estude a possibilidade de se abster da venda de souvenires (fichas, alfinetes, etc) estimulando a sua substituição pela literatura. Aprovada por maioria absoluta.

 

1997, Santos-SP, 21ª CSG

Recomenda:

  • 1.-A aprovação das contas da JUNAAB considerando a sua integridade e parecer do Conselho Fiscal contidos nas págs. 46 a 48 da apostila/1997. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Que a Convenção Nacional, como responsabilidade de todos os Grupos de A.A. do Brasil, seja custeada a partir de inscrições antecipadas e contribuições de companheiros, Grupos e Órgãos de Serviços de A.A., através de depósito em conta aberta pelo Organizador da Convenção) e divulgada pelo Bob Mural, Vivência e boletins Aprovada por unanimidade.
  • 3.-Que o custeio referido na recomendação número 2 possa também ser resultado da venda de folhetos, livretos ou livros de nossa literatura oficial, especialmente editados para a Convenção, sem prejuízo de continuar a JUNAAB proprietária dos títulos editados de acordo com entendimento prévio e autorização da Junta de Custódios. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Que o saldo positivo, caso existente, no resultado final nas contas da Convenção/1997, seja; distribuído da seguinte forma: 40% para o ESG, 20% para a CENSAA local, 20% para a Área local e 20% para o Comitê Organizador da próxima Convenção. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Que os eventos locais, regionais e de Áreas sejam custeados somente através de inscrições, antecipadas e contribuições dos Grupos, companheiros e Órgãos de Serviços. Aprovada por unanimidade.
  • 6.-Que as despesas da Conferência de Serviços Gerais sejam custeadas por recursos oriundos da venda das apostilas da Conferência. Os Comitês de Área adquirirão, a partir de 1997, Apostilas em número de 50%(cinqüenta por cento) do número de Grupos por Área, tomado, como base o relatório das Áreas inseridos na Apostila/1997 (págs. 79 a 103), acrescendo-se 25%(vinte e cinco por cento) para o ano de 1998. O preço final da Apostila será divulgado pela JUNAAB a partir do mês de agosto de 1997, do qual 20% (vinte por centro) serão destinados ao Comitê da Área adquirente. Aprovada por maioria absoluta.
  • 7.-Que as Áreas atualmente adquirentes de Apostilas em número superior ao da recomendação no item acima, procurem manter ou até mesmo ampliar suas aquisições. Aprovada por unanimidade.
  • 8.-Que os Organismos de Serviços orientem os Grupos a que servem, para que evitem as reservas destinadas a fins alheios ao programa. Aprovada por maioria absoluta.
  • 9.-Que o ESG, através do Comitê de Assuntos da Conferência (CAC), coloque com antecedência à disposição da Comissão de Finanças os custos das Apostilas da Conferência 1998, para fins de orientação de seus trabalhos à Conferência de 1999. Aprovada por unanimidade.
  • 10.-Que em eventos nacionais e regionais haja temas sobre "Autossuficiência" em toda a sua amplitude e não somente referindo-se à Sétima Tradição. Aprovada por maioria absoluta.
  • 11.-Que a JUNAAB envie envelopes para resposta comercial, com postagens pagas, aos Coordenadores Estaduais da Vivência (CEVs), para que estes e os Representantes da Vivência (RVs) de sua Área encaminhem cupons de assinaturas da Revista Vivência ao ESG. Aprovada por maioria absoluta.

 

1998, Santos-SP, 22ª CSG

Recomenda:

  • 1.-A aprovação das contas da JUNAAB considerando a sua integridade e parecer do Conselho Fiscal contidos nas págs. 50 a 52 da apostila/1998. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Que a Convenção Nacional, como responsabilidade de todos os Grupos de A.A. do Brasil, seja custeada da seguinte forma:
    • a)A partir de inscrições antecipadas e contribuições de companheiros, Grupos e Órgãos de Serviços de A.A., através de depósito em conta aberta pelo C.O.C. (Comitê Organizador da Convenção) e divulgada pelo Bob Mural, Vivência e boletins informativos.
    • b)Também a partir do resultado da venda de folhetos, livretes ou livros de nossa literatura oficial, especialmente editados para a Convenção, sem prejuízo de continuar a JUNAAB proprietária dos títulos editados de acordo com entendimento prévio e autorização da Junta de Custódios. Aprovada por unanimidade.
  • 3.-Que o saldo positivo, caso existente, no resultado final nas contas da Convenção/2000, seja distribuído da seguinte forma: 40% para o ESG, 20% para a CENSAA local, 20% para a Área local e 20% para o Comitê Organizador da próxima Convenção. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Que os eventos locais, regionais e de Áreas sejam custeados somente através de inscrições preferencialmente antecipadas e contribuições dos Grupos, companheiros e Órgãos de Serviços. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Que as despesas da CSG sejam custeadas por recursos oriundos da venda das Apostilas da Conferência. A cada ano, as Áreas adquirirão apostilas em número de 25% superior ao ano anterior, até atingir uma apostila por Grupo. O custo da Apostila será de R$ 16,00 para a XXIII CSG, salvo caso ocorram alterações de preços de materiais e serviços para a confecção, ficando a JUNAAB responsável em comunicar às Áreas até o mês de agosto, e que sejam destinados 20% do seu valor ao Comitê da Área adquirente. Aprovada por maioria absoluta.
  • 6.-Que as Áreas atualmente adquirentes de Apostilas em número superior ao da recomendação n° 5 procurem manter ou até mesmo ampliar suas aquisições. Aprovada por unanimidade.
  • 7.-Que os Organismos de Serviços orientem os Grupos a que servem, para que evitem as reservas destinadas a fins alheios ao programa. Aprovada por unanimidade.
  • 8.-Que a JUNAAB adote os critérios legais, principalmente os fiscais, na venda de literatura, fichas, fitas de vídeo/áudio e broches, para que as CENSAAs e ISAAs adotem o mesmo procedimento. Aprovada por unanimidade.
  • 9.-Que sejam feitos estudos periódicos pelo Comitê de Finanças e Comitê de Literatura e Publicações Periódicas, com o objetivo de se estabelecer um limite de tiragem para cada item de nossa literatura evitando-se estoques desnecessários. Aprovada por unanimidade.
  • 10.-Recomendamos às CENSAAs/ISAAs a remessa trimestral à JUNAAB de seus balancetes, com o Parecer de seus respectivos Conselhos Fiscais. Aprovada por maioria absoluta.

 

1999, Santos-SP, 23ª CSG

Recomenda:

  • 1.-A aprovação das contas da JUNAAB, exercício de 1998, considerando a sua integridade e do Conselho Fiscal contidos nas páginas da Apostila desta Conferência. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Que a Convenção Nacional, como responsabilidade de todos os Grupos de A.A. do Brasil, seja custeada da seguinte forma:
    • a)A partir de inscrições antecipadas e contribuições de membros, Grupos e Órgãos de Serviços, através de conta aberta pelo COC (Comitê Organizador da Convenção) e divulgada pelo Bob Mural, Vivência e boletins informativos.
    • b)Também a partir do resultado da venda de folhetos, livretes ou livros de nossa literatura oficial especialmente editada para a Convenção, sem prejuízo de continuar a JUNAAB proprietária dos títulos editados de acordo com entendimento prévio e autorização da Junta de Custódios. Aprovada por unanimidade.
  • 3.-Que o saldo positivo, caso existente, no resultado final nas contas das Convenções, seja distribuído da seguinte forma: 40% para o ESG, 10% para a CENSAA local, 10% para a Área e 40% para o Comitê Organizador da próxima Convenção. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Que os eventos locais, regionais e de Áreas sejam custeados somente através de inscrições previamente antecipadas e contribuições dos Grupos, membros e Órgãos de Serviços. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Que as despesas da CSG sejam custeadas por recursos oriundos da venda de Apostilas da conferência junto às Áreas, e que seja respeitado o aumento progressivo de 25% para as Áreas que ainda não atingiram a cota de 1(uma) Apostila por Grupo, com o preço fixado enr 10,00 para a XXIV CSG, salvo ocorram alterações de preços para a sua confecção, a JUNAAB será a responsável por comunicar as Áreas, até o mês de agosto/1999, e que seja dado 20% de seu valor ao Comitê de Área adquirente. Aprovada por maioria absoluta.
  • 6.-Que as CENSAAs e ISAAs adotem os critérios legais, principalmente os fiscais, na venda de literaturas, fichas, fitas de vídeo/áudio e broches, a exemplo da JUNAAB. Aprovada por unanimidade.
  • 7.-À JUNAAB sugerir às CENSAAs/ISAAs e Comitês de Área que, dentro de sua autonomia a remessas de seus balancetes, com o parecer de seus Conselhos Fiscais e Comissões de Finanças. Aprovada por maioria absoluta.
  • 8.-Que o balanço patrimonial e o parecer do Conselho Fiscal da JUNAAB contido na Apostila da Conferência sejam assinados pelos seus responsáveis. Aprovada por maioria absoluta;

 

2000, Santos-SP, 24ª CSG

Recomenda:

  • 1.-A aprovação das contas da JUNAAB, exercício de 1999, considerando a sua integridade e parecer do Conselho Fiscal contidos nas páginas 43 e 44 da apostila desta Conferência, Aprovada por maioria absoluta.
  • 2.-Que a Convenção Nacional, como responsabilidade de todos os Grupos de A.A. do Brasil, seja custeada da seguinte forma:
    • a)A partir das inscrições antecipadas e contribuições de membros, Grupos e Órgãos de Serviços, através de conta aberta pelo COC (Comitê Organizador da Convenção) e divulgada pelo Bob Mural, Vivência e boletins informativos;
    • b)Tambéma partir do resultado da venda de folhetos, livretes ou livros de nossa literatura oficial, especialmente editada para a Convenção, sem prejuízo de continuar a JUNAAB proprietária dos títulos editados de acordo com entendimento prévio e autorização da Junta de Custódios. Aprovada por unanimidade.
  • 3.-Que o saldo positivo, caso existente, no resultado final nas contas das Convenções, seja distribuído das eguinte forma: 40% para o ESG, 10% para a CENSAA local, 10% para a Área local e 40% para o Comitê Organizador da próxima Convenção. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Que os eventos locais, regionais e de Áreas sejam custeados somente através de inscrições preferencialmente antecipadas e contribuições dos Grupos, membros e Órgãos de Serviços. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Que as despesas da CSG sejam custeadas por recursos oriundos da venda de Apostilas da Conferência junto às Áreas, e que seja respeitado o aumento progressivo de 25% para as Áreas que ainda não atingiram a cota de 1 (uma) apostila por Grupo, com o preço fixado em R$ 20,00 para a XXV CSG, salvo ocorram alterações de preços para a sua confecção, ficando a JUNAAB responsável em comunicar às Áreas, até o mês de agosto/2000, e que sejam destinados 20% de seu valor ao Comitê de Área adquirente. Aprovada por maioria absoluta.
  • 6.-Que as CENSAAs e ISAAs adotem os critérios legais, principalmente os fiscais, na venda de literatura, fichas, fitas de vídeo/áudio e broches; o exemplo da JUNAAB. Aprovada por unanimidade.
  • 7.-A JUNAAB sugerir às CENSAAs/ISAAs e Comitês de Área que, dentro de sua autonomia façam remessas de seus balancetes, com o parecer de seus Conselhos Fiscais e Comissões de Finanças. Aprovada por maioria absoluta.
  • 8.-Que o balanço patrimonial e o parecer do Conselho Fiscal da JUNAAB contido na Apostila da Conferência sejam assinados pelos seus responsáveis. Aprovada por maioria absoluta.

 

2001, Santos-SP, 25ª CSG

Recomenda:

  • 1.-A aprovação das contas da JUNAAB, exercício de 2000, considerando a sua integridade e parecer do Conselho Fiscal contido nas paginas 31 a 33 da apostila desta Conferência. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Que a Convenção Nacional, como responsabilidade de todos os Grupos de A. A. do Brasil, seja custeada da seguinte forma:
    • a) A partir de inscrições antecipadas e contribuições de membros, Grupos e órgãos de serviços, através de conta aberta pelo COC (Comitê Organizador da Convenção) e divulgada pelo “Bob Mural", "Vivência" e boletins informativos;
    • b) Também a partir do resultado da venda de folhetos, livretes ou livros de nossa literatura oficial, especialmente editada para a Convenção, sem prejuízo de continuar a JUNAAB proprietária dos títulos editados de acordo com entendimento prévio e autorização da Junta de Custódios. Aprovada por unanimidade.
  • 3.-Que o saldo positivo, caso existente, no resultado final nas contas das Convenções, seja distribuído da seguinte forma: 40% para o ESG, 10% para a E.S.L. local, 10% para a Área local e 40% para o Comitê Organizador da próxima Convenção. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Que as despesas da CSG sejam custeadas por recursos oriundos da venda de Relatórios Anuais de Alcoólicos Anônimos do Brasil junto às Áreas, e que seja respeitado o número de um relatório por Grupo, com o preço fixado em R$ 20,00 para a XXVI CSG, salvo ocorram alterações de preços para a sua confecção, fica a JUNAAB responsável em comunicar às Áreas, até o mês de agosto/2001, e que sejam destinados 20% de seu valor ao Comitê de Área adquirente. O prazo máximo para pagamento pelas Áreas será até o último dia do mês de fevereiro do ano da Conferência. Que o percentual das vendas extras dos Relatórios seja de 25 % para as Áreas adquirentes. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Que o Comitê de Finanças da JUNAAB, juntamente com a Junta de Custódios, elabore um plano de custeio para a CSG. O plano será enviado para as Áreas para análise e validação até 30 de setembro de 2001. As Áreas terão até 31 de dezembro de 2001 para a respectiva análise e validação e envio de sugestões ao Comitê de Finanças. O Comitê de Finanças apresentará o plano de custeio à XXVI CSG para homologação. Aprovada por unanimidade.

2002, São Paulo-SP, 26ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Que a Convenção Nacional, como responsabilidade de todos os Grupos de A.A. do Brasil, seja custeada da seguinte forma:
    • a) A partir de inscrições antecipadas e contribuições de membros, Grupos e Órgãos de Serviço, através de conta aberta pelo COC (Comitê Organizador da Convenção) e divulgada pelo "Bob Mural", "Vivência' e “Boletins Informativos",
    • b) Também a partir do resultado de venda de folhetos, livretes ou livros de nossa literatura oficial, especialmente editada para a Convenção, sem prejuízo de continuar a JUNAAB proprietária dos títulos editados de acordo com entendimento prévio e autorização da Junta de Custódios. Aprovada por maioria absoluta.
  • 2.-Que o saldo positivo, caso existente, no resultado final das contas das Convenções, seja distribuído da seguinte forma: 40% para o ESG, 10% para o ESL local, 10% para a Área local e 40% para o Comitê Organizador da próxima Convenção. Aprovada por unanimidade.
  • 3.-Que o Comitê de Finanças da JUNAAB, juntamente com a Junta de Custódios elabore um plano de custeio para a CSG. O plano será enviado para as Áreas para análise e validação até 30 de setembro de 2002. As Áreas terão até 31 de dezembro de 2002 para a respectiva análise e validação e envio de sugestões ao Comitê de Finanças. O Comitê de Finanças apresentará o plano de custeio à XXVII CSG para homologação. E que a recomendação seja efetivamente cumprida. Aprovada por maioria absoluta.
  • 4.-Para conhecimento geral, que conste do Relatório Anual de Alcoólicos Anônimos do Brasil, em capítulo próprio, o custo previsto para a próxima Conferência, constando de:
    • a) Valor da locação do local da CSG.
    • b) Custo da elaboração, impressão e distribuição do Relatório Anual de Alcoólicos Anônimos do Brasil.
    • c) Despesas com transporte, locomoção, estadia e alimentação do pessoal do CAC, e dos membros da ICSG, antes, durante e após o evento.
    • d) Custo de material da Secretaria.
    • e)Outros custos. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Que o Relatório Final da CSG contenha um resumo informativo de seu custo total. Aprovada por maioria absoluta.
  • 6.-Que as despesas da CSG sejam custeadas por recursos oriundos da venda de Relatórios Anuais de Alcoólicos Anônimos do Brasil junto as áreas, e que seja respeitado o numero de um relatório por grupo, com preço fixado em RS 20,00 para a XXVII CSG, salvo ocorram alterações de preços para sua confecção, fica a JUNAAB responsável em comunicar as áreas, até o mês de agosto de 2002, e que sejam destinados 20% do seu valor ao Comitê de Área adquirente, o prazo máximo para pagamento pelas áreas será até o último dia do mês de fevereiro do ano da conferência. Que o percentual das vendas extras dos relatórios seja de 25% para as áreas adquirentes. Aprovada por maioria absoluta.
  • 7.-A Comissão de Finanças, com base no parecer do Conselho Fiscal, como também na explanação do Tesoureiro Geral da JUNAAB, recomenda a aprovação do Balanço Patrimonial e da Demonstração de Resultados da Junta de Serviços Gerais de A.A. do Brasil - JUNAAB, referente ao exercício encerrado em 31 de dezembro de 2001. Aprovada por maioria absoluta.

 

2003, São Paulo-SP, 27ª CSG

RECOMENDA:

  • 1.-Para conhecimento geral, que conste do Relatório Anual de Alcoólicos Anônimos do Brasil,em capítulo próprio, o custo previsto para a próxima Conferência, constando de:
    • a)Valor da locação do local da CSG.
    • b)Custo da elaboração, impressão e distribuição do Relatório Anual de Alcoólicos Anônimos do Brasil.
    • c)Despesas com transporte, locomoção, estadia e alimentação do pessoal do CAC e dos membros da CSG, antes, durante e após o evento.
    • d)Custo de material da secretaria.
    • e)Outros custos.
    • f)Que constem os itens acima também do custo efetivo da Conferência anterior para fins comparativos. Aprovada por maioria absoluta.
  • 2.-Que as despesas da CSG sejam custeadas por recursos oriundos da venda de Relatórios Anuais de Alcoólicos Anônimos do Brasil junto às Áreas, e que seja respeitado o número de 01 (um) Relatório por Grupo, com preço fixado em R$ 26,00 (vinte e seis reais) para a XXVIII CSG, salvo ocorram alterações no custo da Conferência, ficando a JUNAAB responsável em comunicar às Áreas, até o mês de agosto de 2003, e que sejam destinados 20% do seu valor ao Comitê de Área adquirente. O prazo máximo para pagamento pelas Áreas será até o último dia do mês de fevereiro do ano da Conferência. Que o percentual das vendas extras dos Relatórios seja de 25% para as Áreas adquirentes. Aprovada por maioria absoluta.
  • 3.-Que a Convenção Nacional, como responsabilidade de todos os Grupos de A.A. do Brasil, seja custeada da seguinte forma:
    • a)A partir de inscrições antecipadas e contribuições de membros, Grupos e Órgãos de Serviço, através de conta aberta pelo COC (Comitê Organizador da Convenção) e divulgada pelo "Bob Mural", "Vivência' e “Boletins Informativos",
    • b)Também a partir do resultado de venda de folhetos, livretes ou livros de nossa literatura oficial, especialmente editada para a Convenção, sem prejuízo de continuar a JUNAAB proprietária dos títulos editados de acordo com entendimento prévio e autorização da Junta de Custódios. Aprovada por maioria absoluta.
  • 4.-Que o saldo positivo, caso existente, no resultado final das contas das Convenções, seja distribuído da seguinte forma: 40% para o ESG, 10% para o ESL-local e 50% para o Comitê Organizador da próxima Convenção. Aprovada por maioria simples.
  • 5.-A Comissão de Finanças, com base no Parecer do Conselho Fiscal, como também na explanação do Tesoureiro Geral da JUNAAB, recomenda a aprovação do Balanço Patrimonial e da Demonstração de Resultados da Junta de Serviços Gerais de A.A. do Brasil - JUNAAB, referente ao Exercício encerrado em 31 de Dezembro de 2002. Aprovada por unanimidade.
  • 6.-Que a literatura oficial de A A do Brasil seja reajustada em conformidade com o IGP-M acumulado de dezembro de 2001 a dezembro de 2002, cujo percentual foi de 25,57%. Que seja concedi­do aos ESLs o desconto de 30% para compras de Literatura à vista e 25% para as mesmas a prazo. Que, para compra a prazo, seja feita a seguinte forma de pagamento: 30, 60 e 90 dias da data. Aprovada por maioria simples.

 

2004, São Paulo-SP, 28ª CSG

RECOMENDA:

  • 1.-Que os Relatórios Anuais sejam pagos até o último dia do mês de fevereiro do ano da Conferência de Serviços Gerais e que haja um trabalho conjunto dos RSGs junto aos Distritos, para facilitar o cumprimento do pagamento, mantidos 20% destinados ao Comitê de Área adquirente e 25% para as vendas extras dos Relatórios Anuais. Aprovada por maioria absoluta.
  • 2.-Que a JUNAAB realize ampla pesquisa de preços visando a realização da Conferência de Serviços Gerais, com o propósito de redução de custos. Aprovada por maioria absoluta.
  • 3.-Que os ex-Custódios e os ex-Delegados a RSM recebam as informações da JUNAAB até o final do primeiro ano do mandato do respectivo sucessor evitando despesas, ressalvado pedido por escrito no sentido do recebimento por igual período. Aprovada por maioria absoluta.
  • 4.-Que a Convenção Nacional seja custeada da seguinte forma: através de inscrições antecipadas, contribuições de Grupos e Companheiros, venda de literatura específica e divulgada pelos informativos periódicos; que o saldo positivo caso existente seja distribuído da seguinte forma: 10% para o ESL local, 40% para o ESG e 50% para o Comitê Organizador da próxima Convenção. Aprovada por maioria absoluta.
  • 5.-Que a literatura oficial de A.A. do Brasil, o Relatório Anual de A.A. e a assinatura anual da Revista Vivência, sejam reajustados em conformidade com o IGP-M (FGV) acumulado em 2003; mais a elevação da carga tributária imposta aos fornecedores da JUNAAB, cujo custo será arcado por esta, conforme demonstrativo abaixo:
    • a)IGP-M (FGV) acumulado em 2003, 8,71%.
    • b)Aumento da carga tributária em razão da CONFINS (de 3%para 7,6%) * 6,32% * Lei 10.833/2003. Aprovada por unanimidade.
  • 6.-Que a Conferência aprove as contas da JUNAAB com vistas ao parecer do Conselho Fiscal da mesma. Aprovada por unanimidade.

 

2005, São Paulo-SP, 29ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Que os Relatórios Anuais sejam pagos até o último dia do mês de fevereiro do ano da Conferência de Serviços Gerais e que haja um trabalho conjunto dos RSGs junto aos Distritos, para facilitar o cumprimento do pagamento, mantidos 20% destinados ao Comitê de Área adquirente e 25% para as vendas extras dos Relatórios Anuais. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Que a JUNAAB realize ampla pesquisa de preços visando à realização da Conferência de Serviços Gerais, com o propósito de redução de custos. Aprovada por maioria absoluta.
  • 3.-Que a Convenção Nacional seja custeada da seguinte forma:
    • a)Através de inscrições antecipadas, contribuições de Grupos e companheiros, venda de literatura específica e divulgada pelos Informativos Periódicos;
    • b)Que o saldo positivo, caso existente, seja distribuído da seguinte forma: 10% para o ESL local, 40% para o ESG e 50% para o Comitê Organizador da próxima Convenção. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Que a literatura oficial de A.A. do Brasil, o Relatório Anual de A.A. do Brasil e a assinatura anual da Revista Vivência sejam reajustados em conformidade com o IGP-M (FGV) acumulado durante o ano de 2004, ou seja, 12.41%, a partir de 1o de abril de 2005, sendo que os seguintes itens ficarão fora do reajuste: Alcoólicos Anônimos na sua Comunidade; Você deve procurar o A.A.?; A.A. num Relance; Para onde vou daqui?: Um recém-chegado pergunta; Eis o A.A.; Primeiras noções para o público em geral; Os Doze Conceitos Ilustrados; Um pequeno Guia para o A.A.; Uma mensagem para os Administradores de Instituições Correcionais. Aprovada por maioria absoluta.
  • 5.-Que a Conferência aprove as contas da JUNAAB com vistas ao parecer do Conselho Fiscal da mesma. Aprovada por maioria absoluta.
  • 6.-A Comissão de Finanças considera como aprovadas as peças patrimoniais e os saldos contábeis referentes ao Calendário 2004 da JUNAAB. Sugeriu que seja realizada auditoria contábil e de conciliação bancária nos anos de 2002, 2003 e 2004 pelo Escritório de Contabilidade contratado pela JUNAAB que se encontra em condições de realizar tal levantamento. O parecer deverá ser remetido até a próxima reunião da JUNAAB que se encarregará de enviar a todas as Áreas do Brasil. Aprovada por maioria absoluta.
  • 7.-A Comissão de Finanças sugere que os atuais membros titulares do Conselho Fiscal da JUNAAB sejam destituídos por não cumprirem com suas atribuições contidas no Manual de Serviço de Alcoólicos Anônimos; fica estipulado o prazo de 30 dias para que as regiões enviem à JUNAAB, nome (currículo) de companheiros que serão escolhidos pela Junta de Custódios e homologados pela próxima Conferência. Aprovada por unanimidade.

 

2006, São Paulo-SP, 30ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Que seja criado pela Junta um fundo financeiro destinado ao apadrinhamento do Brasil a outros países. Este fundo será proveniente das contribuições individuais, Grupos e Órgãos de Serviço para atender o Art.32 da Secção 4, item 8 do Estatuto da JUNAAB. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Que o valor do Relatório Anual de A. A. do Brasil seja reajustado de acordo com o índice acumulado do IGP-M (FGV) durante o ano de 2005, ou seja, 1,21%. Aprovada por unanimidade.
  • 3.-Que a literatura oficial de A.A. do Brasil e assinatura da Revista Vivência não sofram reajuste de preço, exceto se houver necessidade e neste caso até o índice acumulado do IGP-M (FGV) durante o ano de 2005. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Que a Conferência de Serviços Gerais aprove a manutenção de 30% de desconto nas compras à vista e 25% de desconto nas compras à prazo quando da aquisição de nossa literatura. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Que os Relatórios Anuais sejam pagos até o último dia do mês de fevereiro do ano da Conferência de Serviços Gerais e que haja um trabalho conjunto dos RSGs junto aos Distritos para facilitar o cumprimento do pagamento, mantidos 20% destinados ao Comitê de Área adquirente e 25% para as vendas extras dos Relatórios Anuais. Aprovada por maioria absoluta.
  • 6.-Que a JUNAAB realize ampla pesquisa de preços visando a realização da Conferência de Serviços Gerais com o propósito de redução de custos. Aprovada por unanimidade.
  • 7.-Que a Convenção Nacional seja custeada da seguinte forma:
    • a)Através das inscrições antecipadas, contribuições de Grupos e companheiros, venda de literatura específica e divulgada pelos informativos periódicos,
    • b)Que o saldo positivo, caso existente, seja distribuído da seguinte forma: 10% para o ESL-Local, 40% para o ESG e 50% para o Comitê Organizador da próxima Convenção. Aprovada por maioria absoluta.

 

2007, São Paulo-SP, 31ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Que a Convenção Nacional seja custeada da seguinte forma:
    • a)Através das inscrições antecipadas, contribuições de Grupos e companheiros, venda de literatura específica e divulgada pelos informativos periódicos;
    • b)Que o saldo positivo, caso existente, seja distribuído da seguinte forma: 10% para o ESL - Local 40% para o ESG e 50% para o Comitê Organizador da próxima Convenção. Aprovada por maioria absoluta.
  • 2.-Que o Relatório Anual de A.A. do Brasil seja reajustado de acordo com o índice acumulado do IGP-M (FGV) durante o ano de 2006, ou seja, 3,84%. Aprovada por maioria absoluta.
  • 3.-Que a literatura oficial de A.A. do Brasil e a assinatura da Revista Vivência não sofram reajuste de preços, exceto se houver necessidade, e neste caso até o índice acumulado do IGP-M (FGV) durante o ano de 2006, ou seja, 3,84%. Aprovada por maioria absoluta.
  • 4.-Que a Conferência de Serviços Gerais aprove a manutenção de 30% de desconto nas compras a vista e 25% de desconto nas compras à prazo de nossa Literatura. Aprovada por maioria absoluta.
  • 5.-Que a Conferência de Serviços Gerais aprove a seguinte tabela de descontos nas aquisições dos Relatórios Anuais de A.A. do Brasil:
    • a)Para pagamento até 31/12/2007 - 25% de desconto.
    • b)Para pagamento de 01/01/2008 até 31/01/2008 - 20% de desconto
    • c)Para pagamento de 01/02/2008 até 29/02/2008 - 15% de desconto
    • d)Para pagamento de 01/03/2008 até a CSG/2008 - 10% de desconto.
    • e)Para os Relatórios Extras será mantido o desconto de 25%, em qualquer época, para pagamento à vista. Aprovada por maioria absoluta.
  • 6.-A Conferência de Serviços Gerais, à luz da Garantia Dois do Conceito Doze, tomando como referência o valor da soma dos doze últimos meses das despesas operacionais, define em R$ 720.000,00 como valor do fundo de reserva prudente da JUNAAB. Aprovada por maioria absoluta.
  • 7.-Que a Conferência de Serviços Gerais aprove as contas da JUNAAB, em conformidade com o parecer do Conselho Fiscal. Aprovada por maioria absoluta.

 

2008, São Paulo-SP, 32ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Que a JUNAAB mantenha controle das milhas oriundas das viagens dos Custódios, utilizando estas milhas nas viagens futuras dos próprios Custódios. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Que a Convenção Nacional seja custeada da seguinte forma:
    • a)Através das inscrições antecipadas, contribuições de Grupos e companheiros, venda de literatura específica e divulgada pelos informativos periódicos;
    • b)Que o saldo positivo, caso existente, seja distribuído da seguinte forma: 10% para o ESL - Local 40% para o ESG e 50% para o Comitê Organizador da próxima Convenção. Aprovada por maioria absoluta.
  • 3.-Que a literatura oficial de A.A. do Brasil e a assinatura da Revista Vivência não sofram reajuste de preço, exceto se houver necessidade. Aprovada por maioria absoluta.
  • 4.-Que a Conferência de Serviços Gerais aprove a seguinte tabela de descontos nas aquisições dos Relatórios Anuais de A.A. do Brasil:
    • a)Para pagamento até 31/12/2008-25% de desconto;
    • b)Para pagamento de 01/01/2009 até 31/01/2009 - 20% de desconto;
    • c)Para pagamento de 01/02/2009 até 28/02/2009-15% de desconto;
    • d)Para pagamento de 01/03/2009 até a CSG/2009 - 10% de desconto.
    • e)Para os Relatórios extras será mantido o desconto de 25%, em qualquer época para pagamento à vista, (unanimidade) Que a Conferência de Serviços Gerais aprove a manutenção de 30% de desconto nas compras à vista e25% de desconto nas compras a prazo de nossa Literatura. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Que a Conferência de Serviços Gerais aprove as contas da JUNAAB do ano de 2007, em conformidade com o parecer do Conselho Fiscal. Aprovada por unanimidade.
  • 6.-Que o valor do Relatório Anual de A.A. do Brasil de 2009 permaneça em R$ 36,00 (trinta e seis reais). Aprovada por unanimidade.
  • 7.-Que o valor do Relatório Anual de A.A. do Brasil de 2010 seja reajustado de acordo com IGP-M (FGV) acumulado de 2009. Aprovada por maioria absoluta.

 

2009, Serra Negra-SP, 33ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Que a Conferência de Serviços Gerais aprove as contas da JUNAAB do ano de 2008 em conformidade com o parecer do Conselho Fiscal. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Que a literatura oficial de A.A. do Brasil, seja reajustada de acordo com o IGPM (FGV) quando houver necessidade. Aprovada por maioria absoluta.
  • 3.-Que o valor da assinatura e número avulso da Revista VIVÊNCIA seja reajustado em 16,92% de acordo com o IGPM (FGV) acumulado nos anos de 2007 e 2008. Aprovada por maioria absoluta.
  • 4.-Que o valor do Relatório Anual de A.A. do Brasil de 2010 seja reajustado e arredondado para R$ 40,00 (quarenta reais), conforme IGPM (FGV) acumulado em 2008. Aprovada por maioria absoluta.
  • 5.-Que a Convenção Nacional seja custeada da seguinte forma:
    • a)Através das inscrições antecipadas, contribuições de Grupos e companheiros, venda de literatura específica e divulgada pelos informativos periódicos,
    • b)Que o saldo positivo, caso existente, seja distribuído da seguinte forma: 10% para o ESL- Local, 40% para o ESG e 50% para o Comitê Organizador da próxima Convenção. Aprovada por maioria absoluta.
  • 6.-Que a Conferência de Serviços Gerais aprove a seguinte tabela de descontos, para as Áreas, nas aquisições dos Relatórios Anuais de A.A. do Brasil:
    • a)Para pagamento até 31/12/2009 - 25% de desconto;
    • b)Para pagamento de 01/01/2010 até 31/01/2010 - 20% de desconto;
    • c)Para pagamento de 01/02/2010 até 28/02/2010 - 15% de desconto;
    • d)Para pagamento de 01/03/2010 até a CSG/2010 - 10% de desconto.
    • e)Para os Relatórios extras será mantido o desconto de 25%, para pagamento a vista até a CSG de 2010. Aprovada por maioria absoluta.
  • 7.-Que a Conferência de Serviços Gerais autorize a JUNAAB a baixar da contabilidade o valor de R$ 82.119,05 lançado como perdas a recuperar, em razão da finalização do Processo Criminal que condenou a pessoa que originou a perda. Aprovada por unanimidade.

 

2010, Serra Negra-SP, 34ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Que sejam detalhadas no Relatório Final da Conferência de Serviços Gerais as receitas e despesas da mesma. Na impossibilidade que isso ocorra, que seja divulgada até a segunda circular da JUNAAB após a realização da Conferência. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Que as Áreas sejam informadas, através do ESG, sobre as milhagens das passagens dos Custódios, cumprindo assim recomendação N° 1 da Comissão de Finanças da XXXII CSG. Aprovada por maioria absoluta.
  • 3.-Que a Conferência de Serviços Gerais aprove as contas da JUNAAB do ano de 2009 em conformidade com o parecer do Conselho Fiscal. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Que a literatura oficial de A.A. seja reajustada de acordo com o IGPM (FGV) quando houver necessidade. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Que o valor da assinatura e número avulso da Revista Vivência seja reajustado de acordo com o IGPM (FGV) quando houver necessidade. Aprovada por unanimidade.
  • 6.-Que o valor do Relatório Anual de A.A. no Brasil de 2011 seja reajustado de acordo com o IGPM (FGV) quando houver necessidade. Aprovada por maioria absoluta.
  • 7.-Que a Conferência de Serviços Gerais aprove a seguinte tabela de descontos nas aquisições dos Relatórios Anuais de A.A. no Brasil:
    • a)Para pagamento até 31/01/2011 -25% de desconto;
    • b)Para pagamento de 01/02/2011 até CSG - 10% de desconto;
    • c)Para os Relatórios extras será mantido o desconto de 25%, em qualquer época para pagamento à vista.
    • d)Os Relatórios extras só serão vendidos após a quitação de toda cota solicitada. Considere-se como base de cálculo do desconto o valor do efetivo pagamento ou depósito na conta corrente da JUNAAB, independentemente da cota de relatórios informada pelas Áreas. Aprovada por unanimidade.
  • 8.-Que a JUNAAB conceda 10% (dez por cento) de desconto nas vendas para ESL's da literatura destinada ao custeio da Convenção Nacional. Aprovada por unanimidade.

 

2011, Serra Negra-SP, 35ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Que a Conferência de Serviços Gerais aprove as contas da JUNAAB do ano de 2010 em conformidade com o parecer do Conselho Fiscal. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Que o valor do Relatório Anual do A.A. do Brasil seja reajustado quando houver ne­cessidade, de acordo com o IGPM da FGV. Aprovada por unanimidade.
  • 3.-Que a JUNAAB conceda 10% de desconto nas vendas para os ESLs da literatura destinada ao custeio da Convenção Nacional. Aprovada por maioria absoluta.
  • 4.-Que as Áreas que quitarem os Relatórios Anuais de A.A. do Brasil/2012 até 31/12/2011 tenham desconto de 30%. Aprovada por maioria absoluta.
  • 5.-Que a proposta contida na Circular JUNAAB 03/2011 de 28 de março inerente aos descontos concedidos na aquisição de literaturas passe a vigorar a partir de 01/01/2012, mantendo-se os atuais percentuais até 31/12/2011. Aprovada por maioria absoluta.

 

2012, Serra Negra-SP, 36ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Que as Áreas estudem uma política financeira para manutenção dos Órgãos de Serviço. Aprovada por maioria
  • 2.-Que a JUNAAB conceda 10% (dez por de desconto nas vendas para os ESLs da literatura destinada ao custeio da Convenção Aprovada por maioria
  • 3.-Que as Áreas que quitarem Relatórios Anuais de A.A. do Brasil/2013 até 31/12/2012 tenham desconto de 30% (trinta por
  • 4.-Que o valor da assinatura da Revista Vivencia seja fixado em R$ 50,00 (cinquenta reais) e o valor do exemplar avulso seja fixado em R$ 10,00 (dez reais), e que a partir de 20/03 seja aplicado o IGPM-FGV. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Que o valor do Relatório Anual de A.A. do Brasil seja reajustado quando houver necessidade, de acordo com o IGP-M da FGV. Aprovada por unanimidade.
  • 6.-Que o valor da literatura editada pela JUNAAB seja reajustado em 25% no ano de 2012, e que a partir de 2013 seja sempre reajustada de acordo com o IGP-M da FGV. Aprovada por maioria absoluta.
  • 7.-Que a Conferência de Serviços Gerais aprove as contas da JUNAAB do ano de 2011 em conformidade com o parecer do Conselho Fiscal. Aprovada por unanimidade.

 

2013, Serra Negra-SP, 37ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Que a Conferência de Serviços Gerais aprove as contas da JUNAAB do exercício de 2012 em conformidade com os pareceres do conselho fiscal. Aprovada por maioria absoluta.
  • 2.-Que o valor da assinatura e do exemplar avulso da Revista Vivência seja ajustado anualmente pela variação do IGP-M da FGV. Aprovada por maioria absoluta.
  • 3.-Que o valor do Relatório Anual de Alcoólicos Anônimos do Brasil seja reajustado, quando houver necessidade, de acordo com o IGP-M da FGV. Aprovada por unanimidade
  • 4.-Que as áreas que quitarem os relatórios anuais de A.A. do Brasil/2014 até 31/12/2013 tenham desconto de 30% (trinta por cento). Após esta data limite não haverá qualquer desconto para pedidos extras ou de complementação de quotas. Aprovada por unanimidade
  • 5.-Que o valor da literatura editada pela JUNAAB seja reajustado anualmente pela variação do IGP-M da FGV. Aprovada por unanimidade

 

2014, Serra Negra-SP, 38ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Que a Conferência de Serviços Gerais aprove as contas da JUNAAB do exercício de 2013 em conformidade com os pareceres do Conselho Fiscal. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Que o valor da assinatura e do exemplar avulso da Revista Vivência seja reajustado anualmente pela variação do IGP-M da FGV. Aprovada por unanimidade.
  • 3.-Que o valor do Relatório Anual de Alcoólicos Anônimos do Brasil seja reajustado, quando houver necessidade, de acordo com o IGP-M da FGV. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Que as Áreas que quitarem os Relatórios Anuais de A.A. do Brasil/2015 até 31/12/2014 tenham desconto de 30% (trinta por cento). Após esta data limite não haverá qualquer desconto para pedidos extras ou de complementação de quotas. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Que o valor da literatura editada pela JUNAAB seja reajustado anualmente pela variação do IGP-M da FGV. Aprovada por unanimidade.

 

2015, Serra Negra-SP, 39ª CSG

Recomenda:

  • 1.-Que a Conferência de Serviços Gerais aprove as contas da JUNAAB do exercício de 2014 em conformidade com os pareceres do Conselho Fiscal. Aprovada por unanimidade.
  • 2.-Que o valor da assinatura e do exemplar avulso da Revista Vivência seja reajustado anualmente, pela variação do IGP-M da FGV. Aprovada por maioria absoluta.
  • 3.-Que o valor do Relatório Anual de Alcoólicos Anônimos do Brasil seja reajustado, quando houver necessidade, de acordo com o IGP-M da FGV. Aprovada por unanimidade.
  • 4.-Que as Áreas que quitarem os Relatórios Anuais de A.A. do Brasil/2015 até 31/12/2014 tenham desconto de 30% (trinta por cento). Após esta data limite não haverá qualquer desconto para pedidos extras ou de complementação de quotas. Aprovada por unanimidade.
  • 5.-Que o valor da literatura editada pela JUNAAB seja reajustado anualmente pela variação do IGP-M da FGV. Aprovada por unanimidade.

 

2016, São Paulo-SP, 40ª CSG

Recomenda:

  • 1.- (31) Que sejam adotados pelos órgãos de serviço de A.A. os planos de contribuição 60% ESL, 25% Área e 15% ESG, ou, 85% ESD/Área e 15% ESG, prevalecendo a autonomia de cada órgão de serviço para adotar estes ou outro plano que melhor atender às suas necessidades. Aprovada por maioria absoluta.
  • 2.- (24) Que a Conferência de Serviços Gerais aprove as contas da JUNAAB do exercício de 2015, em conformidade com os pareceres do Conselho Fiscal. Aprovada por unanimidade.
  • 3.- (25) Que o valor da literatura, editada pela JUNAAB, seja reajustado anualmente pela variação do IGP-M da FGV. Aprovada por unanimidade.
  • 4.- (26) Que o valor da assinatura e do exemplar avulso da Revista Vivência seja reajustado anualmente pela variação do IGP-M da FGV. Aprovada por maioria absoluta.
  • 5.- (27) Que o valor do Relatório Anual de Alcoólicos Anônimos do Brasil seja reajustado, quando houver necessidade de acordo com o IGP-M da FGV. Aprovada por unanimidade.
  • 6.- (30) Que os recursos provenientes da venda do livro “Passo a Passo” subsidiem a XX Convenção Nacional de A.A.-2020. Aprovada por unanimidade.
  • 7.- (28) Aprovado pela Comissão com modificação de texto (data): Que as Áreas que quitarem os Relatórios Anuais de A.A. do Brasil/2017 até 15/12/2016, tenham desconto de 30% (trinta por cento). Após esta data limite, não haverá qualquer desconto para pedidos extras ou de complementação de quotas. Aprovada por maioria absoluta.
  • 8.- (29) Aprovado pela Comissão com modificação de texto (data): Que as Áreas que quitarem integralmente as cotas dos Relatórios Anuais de A.A. do Brasil/2017 (cota é igual ao número de grupos informado no relatório das Áreas) até15/12/2016, continuem tendo desconto de 30% (trinta por cento) na aquisição, a partir de 16/12/2016, de cotas extras de Relatórios, sendo o fornecimento dos mesmos condicionado ao término do estoque. Aprovada por maioria absoluta.
  • 9.-Que a JUNAAB apresente para apreciação da 41ª CSG-2017, o emprego de um novo critério de reajuste do preço da literatura editada, Revista Vivência e do Relatório Anual. Aprovada por unanimidade.

 

2017, Nazaré Paulista-SP, 41ª CSG 

Recomendamos:

  1. (19) Que a 41ª Conferência de Serviços Gerais aprove as contas da JUNAAB, do exercício de 2016, em conformidade com os pareceres do Conselho Fiscal. Aprovada por unanimidade.
  2. (23) Que as Áreas que quitarem a quantidade total dos Relatórios Anuais de A.A. do Brasil/2018, informados no Relatório da Área, até 15/12/2017, tenham desconto de 30% (trinta por cento). Após esta data limite, não haverá qualquer desconto para as complementações de cotas e pedidos extras. Aprovada por unanimidade.
  3. (24) Que as Áreas que quitarem, integralmente, as cotas dos Relatórios Anuais de A.A. do Brasil/2018 (cotas é igual ao número de grupos informados no relatório das Áreas) até 15/12/2017, continuem tendo desconto de 30% na aquisição, a partir de 16/12/2017, de cotas extras de relatórios, sendo o fornecimento dos mesmos condicionados ao término dos estoques. Aprovada por maioria absoluta.
  4. Atendendo a proposta de recomendação de nº 09 da Comissão de Finanças da 40ª CSG/2016, a JUNAAB apresenta o novo critério de reajuste de preço da literatura editada pela JUNAAB, da assinatura (impressa e online) e do exemplar avulso da Revista Vivência e o valor do Relatório Anual com base na variação anual do IGP-M da FGV, mais o percentual de 5% (cinco por cento). Aprovada por maioria absoluta.

 

2018, Serra Negra, SP, 42ª CSG 

Recomenda:

  1. (6) Que a Conferência de Serviços Gerais recomende o plano de contribuição 60% ESL, 25% Área e 15% JUNAAB – Aprovada por unanimidade.
  2. (20) Que a 42ª Conferência de Serviços Gerais aprove as contas da JUNAAB do exercício de 2017, em conformidade com os pareceres do Conselho Fiscal. – Aprovada por unanimidade.
  3. (24) Que o valor da literatura editada pela JUNAAB seja reajustado, anualmente, pela variação do IGP-M da FGV e mais percentual de 7% – Aprovada por maioria absoluta.
  4. (25) Que o valor da assinatura (impressa e online) e do exemplar avulso da Revista Vivência sejam reajustados, anualmente, pela variação do IGP-M da FGV e mais reajuste de 7% – Aprovada por unanimidade.
  5. (26) Que o valor do Relatório Anual de Alcoólicos Anônimos do Brasil seja reajustado, quando houver necessidade, de acordo com o IGP-M da FGV e mais percentual de 7%. – Aprovada por maioria absoluta.
  6. ((28) Que as Áreas que quitarem a quantidade total dos Relatórios Anuais de A.A. do Brasil/2019, informados no Relatório da Área, até 15/12/2018, tenham desconto de 30% (trinta por cento). Após esta data limite, não haverá qualquer desconto para as complementações de quotas e pedidos extras. – Aprovada por unanimidade.
  7. (29) Que as Áreas que quitarem, integralmente, as cotas dos Relatórios Anuais de A.A. do Brasil/2019 (cota é igual ao número de grupos informados no Relatório das Áreas) até 15/12/2018 continuem tendo desconto de 30% na aquisição, a partir de 16/12/2018, de cotas extras de relatórios, sendo o fornecimento dos mesmos condicionados ao término dos estoques. - Aprovada por maioria absoluta.

 

2019, Nazaré Paulista, SP, 43ª CSG 

Recomenda:

  1. (6): Que seja criado um livreto contando as histórias das Convenções Nacionais e que a renda auferida na venda do mesmo seja destinada para custeio da XX Convenção Nacional. Aprovada por unanimidade.
  2. (17): Que a 43ª Conferência de Serviços Gerais aprove as contas da JUNAAB do exercício de 2018, em conformidade com os pareceres do Conselho Fiscal. Aprovada por unanimidade.
  3. (19): Que o valor da literatura, editada pela JUNAAB, seja reajustado, anualmente, pela variação do IGP-M da FGV. Aprovada por unanimidade.
  4. (20): Que o valor da assinatura (impressa e online) e do exemplar avulso da Revista Vivência sejam reajustados anualmente pela variação do IGP-M da FGV. Aprovada por unanimidade.
  5. (21): Que o valor do Relatório Anual de Alcoólicos Anônimos do Brasil seja reajustado, quando houver necessidade, de acordo com o IGP-M da FGV. Aprovada por maioria absoluta.
  6. (22): Que as Áreas que quitarem a quantidade total dos Relatórios Anuais de A.A. do Brasil/2020, informados no Relatório da Área, até 15/12/2019, tenham desconto de 30% (trinta por cento). Após esta data limite, não haverá qualquer desconto para as complementações de quotas e pedidos extras. Aprovada por maioria absoluta.
  7. (24): Que as Áreas que quitarem, integralmente, as cotas dos Relatórios Anuais de A.A. do Brasil/2020 (cotas é igual ao número de grupos informados no relatório das Áreas) até 15/12/2019, continuem tendo desconto de 30% na aquisição, a partir de 16/12/2019, de cotas extras de relatórios, sendo o fornecimento dos mesmos condicionados ao término dos estoques. Aprovada por unanimidade.