Este site usa cookies

Como a maioria dos sites, Alcoóllicos Anônimos (BR) usa cookies. Para oferecer um serviço personalizado e ágil e para melhorar o site, lembramos e armazenamos informações sobre como você o usa. Isso é feito usando arquivos de texto simples chamados cookies que ficam no seu computador. Ao usar este site, você concorda com este princípio.


. . .

Quem somos?

ENTRE 1º DE JULHO E 30 DE NOVEMBRO DE 2018, MEMBROS E GRUPOS DE A.A. PUDERAM, LIVREMENTE, RESPONDER QUESTIONÁRIOS ESPECÍFICOS, NO SITE OFICIAL DA IRMANDADE.

Grupos e membros de A.A. sem aces-so à Internet, ou sem experiência em meios virtuais foram eventualmente socorridos por companheiros mais experientes para poderem, também, partici-par. Nas últimas semanas de novembro recebemos dezenas de questionários impressos no pelo correio, digitando, nós mesmos, as respostas.

Com ações em todo país, consideramos que a adesão ao Inventário foi ótima em todas as regiões e Unidades da Federação, levando-nos a expressar nossa gratidão a todos, pelo empenho e entusiasmo, em busca de ampliar essa adesão ao máximo, até o último minuto.

Com base nas 5.828 respostas dos membros, poderíamos dizer que A.A., hoje, no Brasil, está composta predominantemente por homens (86%) com mais de 40 anos de idade (85%), casados (62%). Não temos, ainda, como avaliar se esses percentuais estão aumentando ou diminuindo, mas podemos compará-los com outros países. Nos EUA e Canadá, por exemplo, apenas 74% dos AAs possuem mais de 40 anos, os casa-dos são minoria (41%) e os homens não passam de 62%.

Temos boa variação de ocupações profissionais, embora com certo predomínio de aposentados (32%) em comparação com EUA e Canadá (19%). Há espaço para crescermos em inúmeras áreas e profissões, como professores, es-tudantes e profissionais de saúde, que nos EUA e Canadá somam 12% e aqui atingem somente 5,5%.

Os dados indicam que a grande maioria começou a beber na infância e adolescência (71%), enquanto mais de 40% possuem outros problemas além do álcool — tais como outras drogas lícitas e ilícitas (38%), além de tabaco, sexo, comida ou compras (42%). Estes números apontam a importância de refletirmos sobre a necessidade de nos tolerarmos e apoiarmos mutuamente.

Quanto à abstinência contínua, predominam veteranos com mais de 5 anos de sobriedade (63%), diante de apenas 36% com menos tempo. Nos EUA/Canadá, a presença de novos é bem mais expressiva: mais da metade (51%) tem menos de 5 anos, sendo 27% abaixo de um ano, ante 15% no Brasil. Estes dados também merecem nossa reflexão, principalmente porque veteranos são o presente e o passado da Irmandade, enquanto recém-chegados representam o presente e o futuro de A.A.

Também ressaltamos um dado que demonstra a força do programa de A.A. e nossa fé nos Legados de Recuperação, Unidade e Serviço: 68% dos participantes não tiveram qualquer recaída, enquanto 15% recaíram apenas uma vez. Para efeito comparativo, na Espanha estes percentuais foram de 59% e 19%, respectivamente, em 2012 – data do último censo.

Nas páginas seguintes há muito mais sobre o Inventário, que foi considerado necessário  por 95% dos membros e 98% dos grupos participantes. Esperamos que sirva como fonte de informação sobre o funcionamento de A.A. no Brasil; como injeção de entusiasmo; fator de esclarecimento e orientação nas atividades de nossos membros, grupos, distritos, áreas e estrutura nacional, inspirando ações individuais e coletivas tanto dentro quanto fora da Irmandade.

EDIÇÃO: 177 – PÁGINA: 10