Alcoólicos Anônimos - Área Rio de Janeiro

Sobre AA - Apresentação

Quem somos

 

Somos uma irmandade de homens e mulheres que compartilham suas experiências, forças e esperanças, a fim de resolver seu problema comum e ajudar outros a se recuperarem do alcoolismo.

O único requisito para se tornar membro de A.A. é desejo de parar de beber.

 

Para ser membro de A.A. não há taxas ou mensalidades; somos auto-suficientes, graças às nossas próprias contribuições.

A.A. não está ligada a nenhuma seita ou religião, nenhum movimento político, nenhuma organização ou instituição; não deseja entrar em qualquer controvérsia; não apóia nem combate quaisquer causas.

Nós de A.A. somos homens e mulheres que descobrimos e admitimos ser incapazes de controlar o álcool.

Aprendemos que precisamos viver sem ele, a fim de evitar a ruína para nós mesmos e para os que nos são caros.

Com grupos em milhares de comunidades, participamos informalmente de uma irmandade internacional, com membros em mais de 181 países. Nosso único e fundamental propósito é mantermo-nos sóbrios e atender àqueles que procuram nosso auxílio, ajudando-os a alcançarem a sobriedade.

Não somos reformadores nem estamos ligados a qualquer grupo, causa ou filiação religiosa. Não temos desejo algum de tornar o mundo abstêmio.

Não recrutamos membros. Evitamos impor nossos pontos de vista e só nos pronunciamos sobre eles quando solicitados.

Em nossa Irmandade encontram-se homens e mulheres de idades e níveis sociais, econômicos e culturais os mais variados. Muitos dentre nós beberam por anos a fio antes de compreenderem que o álcool era, para eles, incontrolável.

Outros tiveram a sorte de chegar a essa conclusão logo que começaram a beber exageradamente.

Variam as consequências de nossa maneira alcoólica de beber.

Alguns de nós estávamos praticamente perdidos antes de buscar a ajuda de A.A. Não tínhamos mais família, bens ou respeito próprio. Tínhamos vivido na sarjeta de muitas cidades. Havíamos sido hospitalizados e presos vezes sem conta.

Havíamos cometido muitas ofensas graves contra a sociedade, contra nossas famílias, contra nossos patrões e contra nós mesmos.

Outros de nosso meio nunca foram presos ou internados. Nem perderam empregos ou famílias por causa do beber. Porém, finalmente chegamos ao ponto onde descobrimos que o álcool estava interferindo em nossa vida normal. Quando descobrimos que não poderíamos viver sem o álcool, também procuraram ajuda no A.A.

Todas as grandes religiões estão representadas em nossa Irmandade e muitos líderes religiosos têm estimulado nosso crescimento. Contamos com ateus e agnósticos entre nós.

A fé ou a filiação a qualquer credo não constitui condição para ser membro de A.A.

Une-nos um problema comum: o alcoolismo.

Reunindo-nos; trocando ideias ou ajudando, juntos com outros alcoólicos, podemos de algum modo, permanecer sóbrios e eliminar a compulsão para a bebida, o que outrora fora uma força dominante em nossas vidas.

Não temos a pretensão de sermos os únicos possuidores da resposta para o problema do alcoolismo. Sabemos que o programa de A.A. funciona para nós, e temos visto funcionar, quase sem exceção, para cada novo membro que desejava, sincera e honestamente, deixar de beber.

Através do A.A. aprendemos muito sobre o alcoolismo e sobre nós mesmos. Tentamos manter esse aprendizado bem claro em nós o tempo todo, porque nos parece ser a chave de nossa sobriedade. Para nós, é fundamental que a sobriedade seja sempre a primeira preocupação.

O que aprendemos sobre o alcoolismo:

A primeira coisa que aprendemos sobre o alcoolismo é que constitui um dos problemas mais antigos da humanidade. Apenas recentemente começamos a nos beneficiar com novas maneiras de tratar o problema.

Por exemplo: os médicos hoje sabem muito mais sobre o alcoolismo que seus antecessores de algumas gerações atrás.

Eles estão começando a definir o problema e a estudá-lo detalhadamente.

Embora não haja uma "definição A.A." formal do alcoolismo, a maioria de nós concorda em descrevê-lo como uma compulsão física aliada a uma obsessão mental.

Com isso queremos dizer que tínhamos um desejo físico, bem distinto, de consumir mais álcool do que podíamos controlar, e em desafio a todas as regras do bom-senso. Tínhamos não só um desejo anormal pelo álcool, como ainda frequentemente sucumbíamos a ele nas piores ocasiões. Não sabíamos quando (ou como) parar de beber. Muitas vezes não tínhamos sensatez bastante para saber quando não começar.

Como alcoólicos, aprendemos penosamente que força de vontade sozinha, embora poderosa em outros aspectos, não bastava para manter-nos sóbrios. Tentamos ficar sem beber durante algum tempo.

Fizemos solenes promessas.

Trocamos de marcas e bebidas.

Tentamos beber apenas a certas horas.

Nada disso deu resultados. Sempre acabávamos, mais cedo ou mais tarde, nos embriagando, quando não só queríamos ficar sóbrios, como tínhamos todo incentivo racional para permanecer sóbrios.

Atravessamos fases de negro desespero, quando tínhamos certeza de que mentalmente algo estava errado em nós. Chegamos a odiar-nos por estarmos desperdiçando os talentos com os quais fomos dotados e causando problemas a nossas famílias e aos outros. Com frequência, comprazíamo-nos em autopiedade e proclamávamos que nada poderia ajudar-nos.

 Se a bebida parece estar lhe causando problemas, ou se seu beber chegou ao ponto de preocupá-lo um pouco, talvez lhe interesse saber algo sobre Alcoólicos Anônimos e seu programa de recuperação do alcoolismo. Despois de ler as considerações apresentadas neste sítio, você poderá achar que o A.A. nada tem a lhe oferecer. Nesse caso, sugerimos que, mantenha a mente aberta sobre o assunto. À luz do que você aprender considere cuidadosamente seu hábito de beber. Decida, por si mesmo, se o álcool se tornou ou não um problema em sua vida. E lembre-se de que será sempre bem-vindo entre os milhares de membros de A.A.  quer resolveram seu problema de bebida e agora levam uma vida "normal" de construtiva  sobriedade no dia-a-dia.

 

 ContatoTel: 021 - 2253-3377

E-mail - bdjuda@aa.org.br 

Av. Presidente Vargas, 542 / 1201-7 - Centro - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20071-000
Tel.: (21) 2253-3377